Religião e política

Após escândalo com Milton Ribeiro, pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil abandona instituição em Pernambuco

Alegando desacordo com escândalo nacional, pastor local da Igreja Presbiteriana do Brasil anuncia saída da instituição, após três décadas de serviço religioso

Jamildo Melo
Cadastrado por
Jamildo Melo
Publicado em 01/07/2022 às 0:16 | Atualizado em 01/07/2022 às 0:26
Reprodução
Ex-ministro e pastor Milton Ribeiro ao lado do pastor Arilton Moura - FOTO: Reprodução
Leitura:

O conhecido pastor Waldir Benevides, de 74 anos, da Igreja Presbiteriana do Brasil, anunciou a sua saída da instituição em Pernambuco, depois de mais de três décadas, por não concordar com os rumos da entidade religiosa.

Ele conta que resolveu criar um "fato político" com objetivo pedagógico.

"O objetivo é tentar levar os colegas a refletirem na atual situação da instituição que tem seu nome maculado por estes escândalos, e talvez tomarem uma atitude para não ver o nome da IPB sendo manchado cada vez mais. Espero que Deus desperte nos pastores e membros da IPB um arrependimento e decisão de mudanças".

'Infelizmente a atual situação dos rumos que a instituição tem tomado, ou posso dizer não tomado com respeito aos escândalos nacionais promovidos por alguns de seus pastores, como por exemplo o uso de arma de fogo e disparo da mesma em público como noticiado, como também outros inúmeros fatos, e o corporativismo de membros da instituição com relação aos erros cometidos por pastores de "renome" nacionais".

Milton Ribeiro tem sido investigado, após ser alvo de acusações de que durante a sua gestão, no MEC, teria favorecido o repasse de verbas do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (FUNDEB) para prefeituras ligadas a pastores aliados ao governo. Ele nega as acusações.

Na semana passada, Milton Ribeiro chegou a ser alvo de um mandado de prisão preventiva, que logo foi derrubado por um desembargador federal, apontando possível abuso de autoridade por parte do juiz que deu a sentença de prisão.

Quem é o pastor Benevides

Waldir Benevides, como pastor na Igreja Presbiteriana do Brasil, foi fundador da IPB Candeias em Jaboatão PE, IPB Suape no Cabo PE, também trabalhou com a Visão Mundial, na coordenação do Programa de Emergência no Nordeste nos anos 80, foi Diretor de Desenvolvimento Social pelo Governo do Estado na Ilha de Fernando de Noronha no ano de 1995 e Assessor na Secretaraia de Meio Ambiente na Prefeitura de Jaboatão, além de Secretário Executivo do Projeto Transformação na Cidade do Recife na Comunidade do Pilar.

INFORME SOBRE MINHA SAÍDA DA IPB IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL

Queridos, nasci num lar de família presbiteriana, meu saudoso avô era presbiteriano, meu saudoso pai foi presbítero por 71 anos dos seus 91 de vida, eu fui batizado pelo saudoso Rev. Elias Bezerra na IPB na cidade de Jaboatão dos Guararapes PE, tive como meus pastores o Rev. Eudes Coelho na cidade do Natal RN, Rev. Edijece Martins na IPB na Madalena, Recife PE, saudoso Rev. Manoel Ferreira na IPB em Candeias na cidade de Jaboatão dos Guararapes PE, na qual participei da organização desta igreja, fui organizador e primeiro pastor da IPB em SUAPE colônia de pescadores no litoral da cidade do Cabo de Santo Agostinho PE.

Sou grato a Deus pela IPB e por todos amigos que tenho nela, e por todo apoio e respeito que sempre recebi, mas infelizmente a atual situação dos rumos que a instituição tem tomado, ou posso dizer não tomado com respeito aos escândalos nacionais promovidos por alguns de seus pastores, como por exemplo o uso de arma de fogo e disparo da mesma em público como noticiado, como também outros inúmeros fatos, e o corporativismo de membros da instituição com relação aos erros cometidos por pastores de "renome" nacionais, etc.

Como também estou me sentindo "inútil" na instituição por ter 74 anos a completar no dia 30 de julho, não tendo mais espaço na IPB, e me por sentir limitado pela idade e saúde para assumir uma igreja, resolvi criar um "fato político" com objetivo pedagógico, para tentar levar os colegas a refletirem na atual situação da instituição que tem seu nome maculado por estes escândalos, e talvez tomarem uma atitude para não ver o nome da IPB sendo manchado cada vez mais.

Espero que Deus desperte nos pastores e membros da IPB um arrependimento e decisão de mudanças.

Quanto a mim, continuarei meu ministério no Senhor Jesus falando do amor de Deus, e testemunhando da sua Graça Salvadora.

Em Cristo Jesus, Waldir Benevides

REPROÇÃO
Jair Bolsonaro com Milton Ribeiro e os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura numa solenidade com evangélicos - REPROÇÃO

Igreja Presbiteriana emite nota dizendo confiar na inocência de Milton Ribeiro

Conforme registrou o site Gospel Mais, a Igreja Presbiteriana reagiu ao caso do pastor Milton Ribeiro, ex-ministro da Educação suspeito de ter participado de um suposto esquema de tráfico de influência no Ministério da Educação (MEC), durante a sua gestão. Em nota, a denominação disse confiar na inocência do líder religioso.

“Não nos compete sentenciar… Temos plena certeza e esperança de que as provas do processo se apresentarão, na devida instância, favoráveis à inocência do reverendo Milton Ribeiro”, diz o comunicado emitido pela Comissão Executiva do Presbitério de Santos (SP), onde o pastor atua desde 1994.

A Igreja também acredita que o decorrer das investigações “também oportunizará que noticiemos que seu serviço na gestão do MEC contribuiu significativamente para a promoção da educação da Nação”.

O caso pela ótica da IPB

“A prisão preventiva do reverendo Milton Ribeiro não possui elementos que justifique a abertura de processo regular com vista à sentença eclesiástica, pois não possui caráter condenatório, haja visto a ausência de julgamento do processo e sentença pronunciada”, diz a Comissão do Presbitério de Santos.

A Igreja Presbiteriana, por fim, exaltou a trajetória de vida do pastor Ribeiro, destacando o seu vínculo familiar. A denominação também pediu bom senso por parte dos demais pastores, a fim de não haver julgamentos precipitados contra o ex-ministro.

“O reverendo Milton Ribeiro possui a postura de homem de família, dada a sua educação sob o cuidado de uma professora e servidora pública e de um homem de bem e trabalhador; também se tornou construtor, com cuidado e respeito, de uma família, como seguindo um legado, ao lado de sua esposa, com quem providenciou as suas duas filhas as devidas oportunidades de afeto, educação e futuro; que semanalmente visita sua mãe, professora aposentada e idosa, com providência de mantimento e, muitas vezes, fazendo a refeição dela”, diz a nota.

“Usem de bom-senso e de cordialidade no trato dessa questão, convictos de que Deus fará a graça e a verdade se encontrarem e a justiça e paz se beijarem”, conclui o texto, segundo informações do Metrópoles.

Internet
Pastor pernambucano deu apoio ao candidato do PTB, Pastor Everaldo - Internet

Sem sorte na política

Nas eleições de 2020, o reverendo Waldir Benevides manifesta publicamente seu apoio ao Pastor Everaldo.

Nas eleições de 2014, apoiou a eleição de Lula Cabral, no Cabo, onde recebeu título de cidadão.

CATARINA CHAVES/MEC
CPI do MEC será instaurada após prisão do ex-ministro da Educação Milton Ribeiro - CATARINA CHAVES/MEC

A IPB NÃO PODE SE CALAR!!!

Há tempos o Ecclesiae Renovare reinvindica um posicionamento da IPB quanto a relação da igreja com o governo, e da participação de seus pastores e líderes em cargos públicos, principalmente político-partidários. Porém, esta prefere manter-se silente ou omissa - esperamos que não seja conivente com nenhum governo ou partido!

Pastores também têm o direito de atuar como cidadãos civis ocupando cargos políticos e partidários. Porém, estes devem se licenciar desvinculando à denominação de quaisquer atrelamentos políticos e respeitando o Estado Laico que separa a religião ou igreja do Estado.

Hoje, a IPB ocupa as principais páginas da mídia e recebe toda sorte de críticas, pois a maioria da população não desvincula um ministro presbiteriano de sua denominação religiosa, ainda mais quando o Rev. Milton Ribeiro, ex-ministro da Educação, se encontra sob a investigação da Polícia Federal.

Os respingos deste vergonhoso escândalo atingem os demais pastores e suas comunidades, bem como os concílios, juntas, comissões e autarquias da IPB - e até mesmo outras igrejas da família presbiteriana e evangélica. E, lamentavelmente ao próprio Evangelho de Cristo.

Neste momento, a IPB não pode se calar! Todos aguardam o seu pronunciamento oficial visando resguardar a sua imagem e o seu testemunho em nossa sociedade! Que Deus tenha misericórdia de nós!

Oramos em favor da Igreja e dos presbiterianos e presbiterianas que sofrem neste delicado cenário e rogamos o conforto e o alento espirituais para a nossa gente! E que a justiça esclareça os fatos e dados, e traga luz, paz e esperança à comunidade cristã e presbiteriana.

Comentários

Últimas notícias