mercado financeiro

Dólar abre esta quarta (06) em queda e Ibovespa em alta; votação de privatização da Sabesp influencia

Dólar tem queda enquanto Ibovespa abre em alta. Queda nos empregos dos Estados Unidos e votação sobre privatização da Sabesp agrada mercado de investidores

Imagem do autor
Cadastrado por

Cynara Maíra

Publicado em 06/12/2023 às 10:52 | Atualizado em 06/12/2023 às 11:05
Notícia
X

O início desta quarta-feira (06) no mercado financeiro apresenta projeções econômicas melhores. Com a abertura do balanço, é indicado que o dólar iniciou o dia em queda, enquanto que o Ibovespa, principal índice da bolsa de valores brasileira, começou em alta. 

Dólar cai e bolsa sobe em abertura do mercado; entenda motivos

Os indicativos são de que às 09h03, o dólar caía 0,11%, sendo vendido a R$ 4,9201. Essa situação já ocorria na terça-feira (05), quando terminou o dia com baixa de 0,45%, com valor de R$ 4,9256. Baseada nos índices de ontem, o acumulado do dólar é de alta de 0,92% na semana, elevação de 0,21% no mês e queda de 6,68% em 2023. 

Já o Ibovespa começou o dia em alta, às 10h14 estava com crescimento de 0,44%, chegando em 127.538 pontos. Ontem o índice fechou com alta de 0,08%, em uma relativa estabilidade. O resultado final foi de 126.903 pontos. Os dados desse resultado conseguiram um acumulado de queda em 1% na semana, 0,34% no mês e ganho de 15,65% no ano. 

A situação da moeda norte-americana e da bolsa de valores nesta quarta tem vínculo com dois principais pontos. O primeiro, de cunho internacional, tem relação com os números menos promissores, mas positivos para os investidores, no relatório de geração de emprego nos Estados Unidos, que indicou vagas abaixo do esperado e apresenta a chance de diminuição dos juros básicos norte-americanos. 

 

Além desse aquecimento do mercado com uma maior valorização do real, também é indicado que a votação de uma possível privatização da Sabesp, companhia de água e saneamento básico de São Paulo, também traz expectativas para os investidores. 

TAXA SELIC É REDUZIDA EM 0,5% pelo BANCO CENTRAL

Tags

Autor