Petrobras formação joint com BTG Pactual para exploração no continente africano

Publicado em 14/06/2013 às 22:00
Leitura:
A Petrobras informa que a sua controlada Petrobras International Braspetro B.V. ("PIBBV") , em conjunto com veículo de investimento gerido e administrado pelo BTG Pactual ("Veículo BTG Pactual"), celebraram instrumento vinculante ("Acordo") para a formação de uma joint venture (na proporção de 50% cada), para exploração e produção de óleo e gás na África ("E&P"). A parceria entre a Petrobras e o BTG Pactual representa uma promissora oportunidade de investimento em E&P na África e será o veículo preferencial para novos investimentos dessa natureza no continente. A constituição da joint venture se dará mediante a aquisição, pelo BTG Pactual e seus clientes através do Veículo BTG Pactual, de 50% das ações de emissão da Petrobras Oil & Gas B.V. ("PO&G"), atualmente integralmente detida pela PIBBV, pelo valor total de US$ 1,525 bilhão. A operação envolverá, uma vez concluída a reorganização societária ora em fase de implementação, as sucursais localizadas em Angola, Benin, Gabão e Namíbia, assim como as subsidiárias Brasoil Oil Services Company (Nigeria) Ltd., Petroleo Brasileiro Nigeria Ltd. e Petrobras Tanzania Ltd. A parceria foi aprovada pelo Conselho de Administração da Petrobras em reunião realizada nesta data e seu fechamento está previsto para ocorrer até o final do mês de junho. A constituição desta joint venture representa um passo importante para a Petrobras, no âmbito do seu Programa de Desinvestimentos, permitindo a ampliação de sua atuação na África e o compartilhamento dos investimentos requeridos para expansão e desenvolvimento de suas reservas, conforme seu Plano de Negócios e Gestão 2013-2017. A Petrobras reafirma sua atuação nestes países, em total conformidade com as legislações locais, sua política de responsabilidade social e os compromissos assumidos.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias