Cesta de produtos apresentou alta de 0,14% e muda de perfil

Publicado em 29/01/2014 às 19:30
Leitura:
Em dezembro, o Abrasmercado cesta de 35 produtos de largo consumo, pesquisada pela GFK e analisada pelo Departamento de Economia e Pesquisa da ABRAS, apresentou alta de 0,14% em relação a novembro de 2013, passando de R$ 359,83 para R$ 360,35.Na comparação com dezembro de 2012, o Abrasmercado apresentou crescimento de 5,43%. Os produtos com maiores altas em dezembro, na comparação com novembro, foram: cebola (8,29%), tomate (7,07%), farinha de mandioca (4,16%), frango congelado (3,52%). As maiores quedas foram impulsionadas por leite longa vida (-7,01%), batata (-3,49%), feijão (-2,86%), leite em pó integral (-1,60%). Em dezembro, na comparação com o mês anterior, a cesta da região Centro-Oeste apresentou a maior alta, registrando 1,34% com o valor de R$ 328,25. Volume de vendas cresceu 0,8% em 2013 De acordo com o Índice Nacional de Volume, pesquisado pela Nielsen para a ABRAS, o autosserviço brasileiro apresentou, no ano de 2013, crescimento de 0,8% nas vendas em volume, em comparação a 2012 (cuja variação ficou em -0,3%). A cesta outros que contêm principalmente produtos de bazar foi a que apresentou o maior crescimento, com 4,1%, seguida da cesta de limpeza caseira, com 3,0%. A cesta de mercearia salgada cresceu 2,2%, a de higiene e beleza 2,1% no volume de vendas; perecíveis, 1,3%; mercearia doce, 0,6%. As categorias de bebidas alcoólicas e não alcoólicas apresentaram quedas, de -1,8% e -1,9%, respectivamente. Os produtos que apresentaram maior crescimento em volume vendido em 2013 foram sucos de frutas pronto para consumo, com 12,9%; leite fermentado, 12%, óleo e azeite, com 8,3%, amaciante de roupas, com 8,2%, sabão e detergente para roupas, com 6,4%. As maiores quedas aconteceram nos seguintes produtos: bebida a base de soja, com -20,5%, álcool, com -15,2%, açúcar, com -9,1%, sabão em barra, com - 8,8%, farinha de trigo, com -7,1%. Em 2013, os supermercados de pequeno porte (com 1 a 4 check-outs) foram os que apresentaram melhor desempenho com crescimento, 3,1%, o modelo de 5 a 9 check-outs apresentou alta de 2,0%. O modelo que compreende os hipermercados de 20 ou mais check-outs teve o pior desempenho queda de -2,6%, seguido pelo modelo de 10 a 19 check-outs (-0,2%), segundo o levantamento da Nielsen.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias