Setor Têxtil brasileiro tem queda de 17,1% na produção física de vestuário

Publicado em 10/04/2015 às 21:00
Leitura:
Diante de um cenário dos mais hostis já enfrentados, com queda na produção, nos investimentos e nos empregos, o Setor Têxtil e de Confecção nacional, sob o comando da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), irá relançar, no próximo dia 14, em Brasília, sua Frente Parlamentar José Alencar para o Fortalecimento do Setor, agora em sua terceira legislatura. A capital federal será invadida por vários empresários, trabalhadores e profissionais liberais ligados à indústria da moda que, durante todo o dia, terão várias reuniões com os parlamentares e autoridades do executivo, culminando com um jantar no clube naval para marcar o início dos trabalhos da nova Frente. “Nossa agenda de competitividade tem muitos pontos em comum com a indústria de transformação como um todo, mas há questões específicas como o nosso pleito do Regime Tributário Competitivo para Confecção (RTCC) que tem um bom acolhimento no MDIC, porém está parado desde o ano passado na Fazenda. 21A nova Frente será orientada em relação aos temas mais urgentes, como a desoneração da folha e a NR12, e também com temas de médio prazo como a modernização das Leis Trabalhistas” explica Rafael Cervone, presidente da Abit.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias