Cenário econômico em Pernambuco, no Brasil e no Mundo, por Fernando Castilho

JC Negócios

Por Fernando Castilho
castilho@jc.com.br

Informação e análise econômica, negócios e mercados

Coluna JC Negócios

Governo deu volta no Congresso e últimas parcelas do auxílio emergencial viram "13º" pago em dezembro

O calendário de pagamento é bem diferente do que os deputados da Frente Parlamentar Mista da Renda Básica pretendiam

Fernando Castilho
Fernando Castilho
Publicado em 20/07/2020 às 16:40
MARCELLO CASAL JR/AGÊNCIA BRASIL
Pessoas nascidas em novembro e dezembro só receberão a quinta parcela do auxilio emergencial a partir de 16 de novembro e sacar o dinheiro apenas a partir de 15 de dezmbro - FOTO: MARCELLO CASAL JR/AGÊNCIA BRASIL
Leitura:

Por Fernando Castilho da Coluna JC Negócios

O novo calendário de pagamentos do auxílio emergencial distribuído, neste final de semana, pelo governo e Caixa Econômica, expandiu para muito além da proposta de pagamento das quartas e quintas parcelas do benefício, que agora chegará a dezembro.

Será no final de outubro que 17,8 milhões de pessoas cadastradas começarão a receber a última parcela que só poderá ser sacada, em dinheiro, a partir do dia 15 de dezembro para o último lote de 1 milhão de pessoas, nascidas nos meses de novembro e dezembro.

>> Veja quem começa a receber a quarta parcela do auxílio emergencial nesta segunda-feira (20)

>> Confira o novo calendário de pagamentos do auxílio emergencial divulgado pelo governo

>> Câmara aprova projeto que impede bloqueio do auxílio emergencial

Na prática, o governo contornou a ameaça do Congresso em estender o valor das parcelas até dezembro ao substituir a proposta de pagar os R$ 600 em três parcelas por duas, porem, estendendo o pagamento, em dinheiro, até dezembro, para, ao menos, 5,2 milhões de beneficiários. Essas pessoas só poderão movimentar a conta a partir de 16 de novembro.

O que o governo, efetivamente, fez foi assegurar a quarta parcela para as 19,1 milhões de pessoas inscritas no Bolsa Família, que começaram a receber nesta segunda-feira.

O primeiro lote de 1,9 milhão de pessoas com NIS terminado em 1 foi creditado. Até o dia 31 deste mês, mais nove lotes serão pagos.

Neste lotes estão, também, as mães de filhos inscritos no programa classificadas como chefes de família. Essas senhoras receberão R$ 1.200. O calendário do Bolsa Família é estruturado para que seja pago nos últimos 10 dias úteis do mês.

O espaçamento, entretanto, aconteceu com os 34.6 milhões de pessoas que precisaram se inscrever e os 20 milhões do CadÚnico. Serão essas pessoas que dependendo do mês vão receber até 15 de dezembro.

Na prática, governo pegou o calendário e expandiu em substituição ao que havia divulgado. Desta forma, as últimas parcelas só começarão a ser pagas no dia 9 de outubro quando os 2,4 milhões de pessoas nascidas em janeiro e fevereiro poderão fazer pagamentos.

A estratégia do comunicação do governo com a informação de que os pagamentos foram fracionados por mês de nascimento. Foi isso que ajudou com que o fluxo de caixa para os pagamento fosse ampliado até dezembro.

Na verdade, pode-se observar que, para quem não é do Bolsa Família e já recebeu três primeira parcelas, só começarão a receber a quarta parcela a partir de quarta-feira dia 22 se forem nascidos em janeiro e fevereiro.

Quem nasceu em dezembro só vai receber dia 26 de agosto e só vai poder sacar o dinheiro dia 17 de setembro.

O calendário de pagamento é bem diferente do elaborado pelos deputados da Frente Parlamentar Mista da Renda Básica. Eles defendiam que o governo pagasse o mesmo benefício em outras quatro parcelas pagas nos meses de setembro, outubro, novembro e dezembro.

Também é bem diferente do entendimento da Câmara Federal que entendia que os pagamento das quartas e quintas parcelas fossem feitos em julho e agosto, o que não aconteceu.

Comentários

Últimas notícias