Cenário econômico em Pernambuco, no Brasil e no Mundo, por Fernando Castilho
JC Negócios
Por Fernando Castilho
castilho@jc.com.br

Informação e análise econômica, negócios e mercados

Coluna JC Negócios

Petrolina terá gás natural que vai chegar em caminhão saindo de Suape

Para abatecer Petropina a Golar também recebeu no Porto de Suape o primeiro lote de dez isocontêineres importados para viabilizar o projeto, de um total de 70 que chegarão até o fim do ano

Fernando Castilho
Fernando Castilho
Publicado em 31/07/2020 às 12:25
Notícia

DIVULGAÇÃO
Caminhões de gás natural Suape serão usando para fornecer GNL a Petrolina e cidades da Região numa rede da Copergás - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

Por Fernando Castilho da Coluna JC Ngeócios

A cidade de Petrolina será a primeira do Sertão de Pernambuco a receber gás natural nos próximos meses. A iniciativa é resultado de um projeto que junta a gigante Golar Power com a Companhia Pernambucana de Gás Natural (Copergás) para a implantação da primeira Rede Estruturante de Gasoduto do Nordeste, para servir as empresas das região.

O logística é basicamente feita por caminhões que transportarão o gás por terra até Petrolina, onde ele será regaseificado. Funciona assim: a Copergás vai implantar um gasoduto de 40 km para fazer a distribuição do gás a partir de uma unidade de regaseificação a ser construída que receberá um volume de 40 mil m³/dia de GN transportados em isoconteinêres que serão abastecidos pelo Terminal de GNL de Suape. O investimento da Golar é de US$ 2 milhões num terminal que será a base de uma rede da Copergás

Essa iniciativa no Sertão é desdobramento do protocolo de intenções que a Golar assinou com o Governo do Estado de Pernambuco, em março deste ano, para a implantação de um Terminal de Gás Natural Liquefeito (GNL) no Complexo Industrial Portuário de Suape, previsto para entrar em operação no primeiro trimestre de 2021.

Nesta quinta-feira, a Golar recebeu no Porto de Suape o primeiro lote de dez isocontêineres importados para viabilizar o projeto, de um total de 70 que chegarão até o fim do ano.

Em parceria com as companhias distribuidoras de gás natural canalizado, a Golar pretende implementar a infraestrutura em cidades distantes dos dutos, promovendo assim a interiorização do energético.

A implementação de caminhões movidos a GNL, por exemplo, poderia reduzir o preço do frete no país, permitindo um melhor rendimento aos caminhoneiros.

Segundo levantamento da Golar, cerca de 170 municípios com mais de 100 mil habitantes não contam com gasodutos. No total, 95% das cidades brasileiras estão desprovidas de gás natural.

Para o vice-presidente da Golar, Marcelo Rodrigues a implementação de caminhões movidos a GNL, por exemplo, poderia reduzir o preço do frete no país, permitindo um melhor rendimento aos caminhoneiros que rodam naquela região.

A Golar Power, que assinou protocolo de intenções com o Governo do Estado de Pernambuco, quer estabelecer um novo hub de abastecimento de gás natural no Nordeste, com a implantação do Terminal de Gás Natural Liquefeito (GNL) no Complexo Industrial Portuário de Suape, com investimento de R$ 1,8 bilhão.

O projeto prevê uma infraestrutura de suprimento de gás natural para geração de energia elétrica, além de atender demandas das indústrias, comércio, postos de GNV/GNL e residências, em parceria com a Copergás.

Segundo levantamento da Golar, cerca de 170 municípios com mais de 100 mil habitantes não contam com gasodutos. No total, 95% das cidades brasileiras estão desprovidas de gás natural.

O navio da Golar, com capacidade de 135 mil metros cúbicos e 290 metros de comprimento, atracará de forma permanente no Cais de Múltiplos Usos do Porto de Suape.

Esta embarcação funcionará como supridor para abastecimento de isso-containers (tipo de contêiner em forma de cisterna) montados em caminhões.

Estes veículos, por sua vez, farão a distribuição para cidades num raio de até mil quilômetros. O escoamento por caminhão chegará a um de 480 mil m3 de gás natural por dia.

A distribuição de GNL também será feita a partir de Suape para outros estados do Brasil, por meio de cabotagem.

Com informações da Golar Power

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias