Cenário econômico em Pernambuco, no Brasil e no Mundo, por Fernando Castilho

JC Negócios

Por Fernando Castilho
castilho@jc.com.br

Informação e análise econômica, negócios e mercados

Coluna JC Negócios

Estaleiro Atlântico Sul volta a contratar soldadores desta vez para consertar navios

EAS quer virar referência de qualidade no segmento de reparo de navios no Brasil

Fernando Castilho
Fernando Castilho
Publicado em 07/08/2021 às 11:45
Notícia
 FERNANDO CASTILHO/ESPECIAL PARA O JC
Suape, primeiro navio feito no Estaleiro Atlântico Sul. - FOTO: FERNANDO CASTILHO/ESPECIAL PARA O JC
Leitura:

Ícone da implantação indústria naval no Norte e Nordeste, o Estaleiro Atlântico Sul deve fechar o mês com 500 empregados. É quase nada em relação aos 50 mil empregados que já teve no auge de sua produção de navios Suexmax para a Transpetro, anos antes de estrourar o escândalo do petrolão.

Mas, segundo sua CEO, Nicole Mattar Haddad Terpins, a equipe nunca esteve tão motivada e focada. Nos últimos 18 meses, ele voltou a operar na prestação de serviços de reparo já tendo feito oito docagens. Esse é um mercado de ao menos 300 navios - apenas no mercado interno. E o EAS quer virar referência de qualidade.

FERNANDO CASTILHO
Estaleiro Atlântico Sul em Suape - FERNANDO CASTILHO

Ela conta que quando chegou na companhia, localizada em Suape, o EAS tinha 20 funcionários e nenhum cliente. Veio para cuidar da aprovação do pedido de Recuperação Judicial, finalmente aprovado em junho, quando já tinha quatro navios sendo reparados.

Com a RJ aprovada, ela acredita que a empresa poderá se reconstruir não só no mercado de reparos, mas no de desmantelamento de navios, mercado que se prepara para entrar ostentando o selo verde (o primeiro no Brasil) e surfar na onda do mercado ESG. E a seguir, no mercado off shore para construção de plataformas de petróleo, entre outros produtos siderúrgicos como, por exemplo, estruturas para a geração de energia eólica.

Nicole Mattar tem dois anos para fazer o EAS sair da RJ. Ela acredita que pode conseguir. Mas entregando uma companhia com perspectiva de ser competitiva e fazer novos negócios. “Voltamos a ligar para os nossos ex-soldadores. Vamos resgatá-los”.

O Estaleiro Atlântico Sul é um case do sonho do Governo Lula em reconstruir a indústria naval a partir da compra de navios petroleiros e plataformas de petróleo, mirando o pré-Sal.

FERNANDO CASTILHO
Lula fala na festa de entrega do primeiro navio feito em Suape - FERNANDO CASTILHO

A Transpetro (subsidiária da Petrobras) saiu distribuindo contratos de encomendas onde o EAS ficou com o melhor pacote, de 25 navios tanque de petróleo.

O EAS entregou todos, mas quando o último zarpou de seu cais, a empresa estava quebrada e lutando por um plano de Recuperação Judicial - só aprovado em junho último.

Nicole Mattar iniciou sua trajetória no Estaleiro Atlântico Sul em 2014, como Diretora Jurídica, e virou CEO em agosto de 2019, com a missão de fazer sua reestruturação. Cuidou do processo da negociação com os credores - que levou à aprovação da RJ.

A negociação com os credores do EAS durou quase dois anos e exigirá desmobilização de ativos incorporados quando a planta se propunha a ser a maior da América Latina. O crédito fácil virou uma dívida bilionária.

Um dos projetos que a CEO aposta é o de reparos navais, que o EAS leva vantagem pela estrutura para fazer docagem e por desenvolver serviços que o tornem uma referência para chegar no mercado dos navios de longo curso, que passam pelo porto de Suape.

A executiva também mira o mercado de desmonte de navios, que está aberto no Brasil, mas que pelas novas exigências do mercado com ESG vai exigir práticas sustentáveis do setor. Ela quer obter o Selo Verde para se apresentar e ocupar o mercado.

FERNANDO CASTILHO
Lula, Dilma, Eduardo Campos e Sergio Machado, presidente da Transpetro - FERNANDO CASTILHO

Garrincha foi o último Suezmax entregue à Transpetro.

Batizado de Abdias Nascimento, o petroleiro Suezmax foi último (de um total de doze) entregues a Transpetro no dia 14 de setembro de 2017. Após ser entregue, o navio seguiu até Salvador para abastecer e depois irá para a bacia de campos, no Rio de Janeiro, para receber o óleo extraído do pré-Sal, que será distribuído nas refinarias do Brasil, dentro da estratégia brasileira de produção de combustíveis e derivados do petróleo.

Depois dele foram entregues O Castro Alves e o Garrincha, último construído no Estaleiro Atlântico Sul (EAS), em Pernambuco. A embarcação é do tipo Aframax, baseado na terminologia Average Freight Rate Assessment (AFRA), em português, Valor Médio de Frete, sua capacidade de carregamento está na faixa de 80 mil a 120 mil toneladas de porte bruto (TPB) e é parte do programa de modernização e expansão da frota (Promef).
Lançado em 2004, o Promef marcaria o ressurgimento da indústria naval no país, mas sem uma política industrial definida para o setor por parte do governo federal, logo naufragou.

O programa previa a construção de 49 navios, mas 23 dessas encomendas foram canceladas ou suspensas, sendo 3 deles, modelo Panamax, que chegaram a ter a construção no estaleiro Mauá, em Niterói (RJ).

Mas em 13 de agosto de 2019, após a entrega da última encomenda firme recebida pelo estaleiro, no caso um modelo Aframax, entregue à Transpetro no último dia 24 de junho o estaleiro encerrou as atividades.

Foi o ocaso de um projeto de um super estaleiro cujo dique seco tem estrutura com 400 metros de extensão, 73 metros de boca e 12 metros de profundidade, o que possibilita a produção de embarcações com até 500 mil toneladas.

FERNANDO CASTILHO
Dilma Rousseff candidata a reeleição em 2014 no Estaleiro Atlântico Sul - FERNANDO CASTILHO

 

FERNANDO CASTILHO
Lula, Dilma, Eduardo Campos e Sergio Machado, presidente da Transpetro - FOTO:FERNANDO CASTILHO
FERNANDO CASTILHO
Dilma Rousseff candidata a reeleição em 2014 no Estaleiro Atlântico Sul - FOTO:FERNANDO CASTILHO
FERNANDO CASTILHO
Lula fala na festa de entrega do primeiro navio feito em Suape - FOTO:FERNANDO CASTILHO
FERNANDO CASTILHO
Estaleiro Atlântico Sul em Suape - FOTO:FERNANDO CASTILHO

Comentários

Últimas notícias