Cenário econômico em Pernambuco, no Brasil e no Mundo, por Fernando Castilho

JC Negócios

Por Fernando Castilho
castilho@jc.com.br

Informação e análise econômica, negócios e mercados

Coluna JC Negócios

Ayrton Cardoso, do Costa Dourada, foi pioneiro na proposta de fazer um porto industrial em Suape

Empresário radicado no Cabo, Cardoso, ainda jovem, esteve no grupo de executivos que começou a debater a ideia de Suape em 1968

Fernando Castilho
Cadastrado por
Fernando Castilho
Publicado em 08/12/2021 às 14:15 | Atualizado em 08/12/2021 às 14:27
REPRODUÇÃO
DESPEDIDA Empresário também construiu o Shopping Costa Dourada - FOTO: REPRODUÇÃO
Leitura:

Conhecido como o dono da antiga Usina Santo Inácio, o fundador da Cidade Garapu e empreendedor do Shopping Costa Dourada, o Costinha, como a população do Cabo de Santo Agostinho se refere ao centro comercial, o empresário Ayrton Gonçalves Cardoso, que nos deixou nesta quarta-feira (8) fez parte do grupo de jovens executivos que gestaram a ideia da construção de um porto industrial ao sul do Recife na década de 60 e que nos levou ao Complexo Portuário de Suape.

Ele estava no grupo de apenas seis pessoas que se reuniam na sede da antiga Usina Santo Inácio, de propriedade de sua família, e que se tornou conhecida pela intelectualidade pernambucana por se reunir, ao redor de uma mesa farta e uma boa adega de vinhos, para formular projetos para uma nova fase econômica de Pernambuco.

Esse grupo, que começou a se reunir em 1968, era formado por Ayrton - que tinha completado seus estudos de química na Europa e voltara ao Recife- o também químico Romeu Botto que veio a ser presidente da Coperbo, hoje Lanexx, o advogado Julio Araújo Romagueira e  pelo jornalista Anchieta Hélcias, além do almirante Paulo Moreira da Silva, cientista e pesquisador de recursos marinhos criador da Superintendência do Desenvolvimento da Perca (Sudepe) que foi a base da atual Secretaria Nacional da Pesca.

O então jovem empresário Ayrton Cardoso, era quem reunia o grupo na varanda do escritório da Usina no morro do Cabo de Santo Agostinho para falar da possibilidade de um porto abrigado entre da muralha de arrecifes protegida pela Mata Atlântica.

Mas foi o almirante Moreira da Silva quem começou a apostar na ideia de fazer em Suape um porto industrial. E ele, junto com Ayrton, continuou a ajudar ao porto quando foi levado para a Superintendência de Estudos do Mar, a mesma instituição que mais tarde aprovou os primeiros estudos sobre o porto que viria a se lançado pelo governador biônico Eraldo Gueiros Leite assim que foi escolhido para governar Pernambuco.

Ayrton se tornou conhecido desse grupo por ser o que mais se entusiasmava com a ideia e porque tinha trânsito entre a elite do empresarial pernambucana da época. Ele também esteve no inicial grupo que começou a falar publicamente da proposta quando o Porto do Recife liderava as operações no Nordeste.

Cardoso foi um dos que procuraram o então governador de Pernambuco, Nilo Coelho que apoiou a ideia embora advertindo que essa seria a tarefa de Eraldo Gueiros já escolhido pelo presidente Costa e Silva pelo seu desempenho no Superior Tribunal Militar.

No governo Eraldo Gueiros ele participou ativamente dos debates embora nunca tenha se desligado dos seus negócios.

Ayrton Gonçalves Cardoso formou - se em Química Industrial pela UFPE e participou de diversos cursos voltados para o seu aperfeiçoamento profissional e pessoal na Europa e, enquanto articulava, Suape cuidava da diretoria Industrial da Usina Salgado no período de 1959 a 1967.

Conhecido pela formação acadêmica que teve no Brasil e na Europa era chamado a debater questões relacionadas ao planejamento do governamental nacional onde defendia a inclusão do Nordeste dentro da plataforma industrial que defendia para o Brasil, com foco na exportação.

Anos depois, ele fundou a Santo Inácio S/A Agropecuária, empresa do ramo imobiliário, ora desenvolvendo o empreendimento Loteamento Cidade Garapu,

Ele ainda foi presidente da Química Industrial Pernambucana S/A (QUIPER), Sócio da CIPER - Instalações Industriais de Pernambuco Ltda. E até foi dono de uma torrefação, o Café São Miguel Ltda de onde foi Sindicato da Indústria de Torrefação de Café do Estado de Pernambuco. E fez parte várias diretorias da Fiepe.

Em 1985, ele esteve no Conselho do Banco do Nordeste do Brasil S/A. Em 1999, o empresário que era paraibano de Campina Grande que aqui chegou nos idos de 1943, com apenas quatro anos de idade virou cidadão de Pernambuco por iniciativa do então deputado Lula Cabral.

Pai do empresário Eduardo Cardoso que hoje lidera os negócios da família, Ayrton esteve sempre legado ao município do Cabo tendo sido ao autor da ideia de transformar parte das terras da antiga usina Santo Inácio da sua família num mega loteamento que chamou de Cidade Garapu por comercializar mais de 7 mil lotes onde mora hoje uma população de mais 20 pessoas.

Ele também esteve à frente do desenvolvimento do projeto do Shopping Costa Dourada que vem se consolidando como um pequeno complexo que hoje já abriga além do centro comercial um hotel da rede Intercity e um empresarial feito em parceria com a Construtora Rio Ave todos nas margens da PE-60.

No final de agosto o empresário ao lado do filho Eduardo anunciou a uma nova expansão do Shopping Costa Dourada que vai abrigar a nova loja da rede Tupan de home center e material de construção.

A empresa tem 9 lojas e três 3 Centros de Distribuição em Pernambuco e Maceió, e sua 10ª unidade terá 4.500 m2 de área de vendas devendo ficar pronta em aproximadamente um ano.

O “Costinha” ainda terá a ampliação em mais 2.500 mil m2 da loja âncora do Atacarejo Arco Vita, que crescerá no mall. A Tupan tem lojas em Recife, Olinda, Caruaru, Serra Talhada e Maceió.

 

Comentários

Últimas notícias