Cenário econômico em Pernambuco, no Brasil e no Mundo, por Fernando Castilho

JC Negócios

Por Fernando Castilho
castilho@jc.com.br

Informação e análise econômica, negócios e mercados

Coluna JC Negócios

Paulo Câmara restringe ocupação em festa privada sabendo que terá de proibi-las totalmente em fevereiro

Não dá para achar que o impacto da variante ômicron vai fazer uma curva no Estado de Pernambuco suficiente para liberar festa fechada no Carnaval com segurança

Fernando Castilho
Fernando Castilho
Publicado em 11/01/2022 às 7:00
HEUDES RÉGIS/SEI
"Temos um problema duplo com uma epidemia de influenza dentro da pandemia de covid", diz Paulo Câmara - FOTO: HEUDES RÉGIS/SEI
Leitura:

Governar é contrariar interesses. O governador Paulo Câmara sabe que, nas próximas semanas, a menos que Pernambuco seja um ponto fora da curva, terá de proibir qualquer tipo de festa privada que gere aglomeração, seja com 3mil, 300 ou 1 mil pessoas.

A sabedoria popular ensina que não dá para mudar uma realidade, ainda que ela nos seja difícil. Ou como naquele conhecido comercial da Casa Lux: "o pior cego é aquele que não quer ver".

Isso quer dizer que não dá para achar que o impacto da variante ômicron vai fazer uma curva no Estado de Pernambuco suficiente para liberar festa fechada no Carnaval com segurança e risco mínimo de novas contaminações.

Também quer dizer que, como aconteceu nos demais países, o pico da covid-19 vai chegar e, no nosso caso, bem perto do Carnaval. Não é uma expectativa. É uma possibilidade matemática.

Então, é importante, para quem acha que dá para contornar e fazer festa com todas as medidas de segurança, também trabalhar com a possibilidade do cancelamento - porque ela é real.

O fato novo na pandemia da covid-19 é que a ômicron simplesmente contamina mais. Felizmente com menos gravidade. Mas contamina mais e ponto.

Achar que dá para juntar 3 mil, 5 mil e não provocar uma explosão de casos é querer enganar o freguês.
Se o governo do Estado autoriza, sabe que vai ter reflexo nos hospitais públicos e privados. Só precisa fazer a conta do custo social e de saúde.

Todo mundo acha que é legal fazer festa. E é. Mas não tem isso de medidas sanitárias com 3 mil pessoas bebendo, suando e dançando junto. Estão querendo enganar a quem, além de si mesmos?

Existem momentos em que a realidade se impõe. Não dá para mudar.

Então, é bom saber que o que pode acontecer é a coisa piorar. Melhorar não tem como diante do que já se observa no resto mundo.

Mas tem gente que sempre acha que o mundo pode ser do jeito que sonha. Paciência.

Comentários

Últimas notícias