Cenário econômico em Pernambuco, no Brasil e no Mundo, por Fernando Castilho

JC Negócios

Por Fernando Castilho
castilho@jc.com.br

Informação e análise econômica, negócios e mercados

Coluna JC Negócios

Marketplace reverso de crédito muda relação de banco com quem pede empréstimo

Para Luiz Falbo, a questão do crédito mudou muito com as novas tecnologias e os agentes financeiros, em seus modelos tradicionais (Bancos, Cooperativas, precisam mudar também

Fernando Castilho
Cadastrado por
Fernando Castilho
Publicado em 27/04/2022 às 16:00 | Atualizado em 28/04/2022 às 0:32
DIVULGAÇÃO
Luiz Falbo e fundador da fintech Kalea - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

No mundo dominado pelos serviços prestados pelo Google, o Ifood e o Uber será que a jornada para obtenção de crédito não poderia ser mais objetiva, menos onerosa, inclusiva e finalmente mais competitivas e personalizadas?

O empresário Luiz Falbo Di Cavalcanti, CEO da fintech Kalea, fez essa pergunta ao se deparar com dificuldade que a sistemática tradicional de relacionamento de crédito entre empresas e instituições financeiras que nem sempre acontece de forma fluida e simples

Ele começou a refletir sobre como o arranjo entre as partes acontecesse antes de o empresário é levado a preencher formulários de cadastro, disponibilizar documentos e informações, efetuar assinaturas e reconhecimentos de firma, para então encaminhar tudo a um único e determinado agente financeiro.

Falbo acabou criando a Kalea uma um “marketplace reverso” de crédito, gerenciando os dados e informações das empresas que desejam receber propostas de crédito e que trabalha com essa proposta.

Se tornar um marketplace de crédito que permite as empresas prestem algumas informações cadastrais de forma digital, de maneira que suas inteligências artificiais possam direcionar essas empresas aos agentes financeiros para os quais seu perfil se enquadre, e então elas possam receber propostas de crédito de tais agentes.

A Kalea foi uma grande evolução, diz Luz Falbo. Se considerarmos que as inovações tecnológicas têm utilizado os dados para simplificar, facilitar e ampliar as possibilidades das vidas das pessoas, podemos ponderar que o mercado empresarial pode se beneficiar amplamente também no mercado de crédito.

Para ele, a questão do crédito mudou muito com as novas tecnologias e os agentes financeiros, em seus modelos tradicionais. Bancos, Cooperativas, precisam mudar também.

Isso implica em realizar prospecções comerciais de forma prévia, digital e segmentada, de acordo com suas estratégias de operação de crédito e situação financeira como fazem Fintechs, Sociedades de Crédito Direto, usando as novas ferramentas de mineração de dados.

Falbo avalia que tomar crédito às vezes se torna mesmo uma jornada. O agente financeiro precisa receber toda essa burocracia de maneira completa e organizada para, só então, poder analisar se a empresa atende os requisitos e enquadramentos necessários. E só após todo esse processo burocrático acontece o feedback sobre a viabilidade de abertura de relacionamento, passando-se então à eventual abertura de conta e análise e estabelecimento de limites.

Isso foi interessante no passado, mas precisa ser usado quando existe uma enormidade de novas tecnologias que vêm mudando os conceitos e facilitando a vida das pessoas e empresas?
P

ara ele, os marketplaces podem ajudam a direcionar as empresas na busca dos produtos de “prateleira” dos agentes financeiros, mantendo-as no limitado universo do crédito tradicional. E isso em tempo muito menor, avalia o criador da a Kalea.

 

Comentários

Últimas notícias