Cenário econômico em Pernambuco, no Brasil e no Mundo, por Fernando Castilho

JC Negócios

Por Fernando Castilho
castilho@jc.com.br

Informação e análise econômica, negócios e mercados

Coluna JC Negócios

Incêndio do Beco do Sururu expõe inação da Prefeitura do Recife na área de habitação popular

Os prefeitos do Recife sempre optaram pela transferência de responsabilidades afirmando que esse é um problema nacional

Fernando Castilho
Cadastrado por
Fernando Castilho
Publicado em 06/05/2022 às 22:05 | Atualizado em 06/05/2022 às 22:36
GUGA MATOS/JC IMAGEM
Incêndio destrói palafitas no Pina - FOTO: GUGA MATOS/JC IMAGEM
Leitura:

Agora que o Corpo de Bombeiros dominou o incêndio da comunidade do Beco do Sururu, que se formou entre as pontes Paulo Guerra no bairro do Pina, cabem dois minutos de conversa sobre o que aconteceu ali e o que isso nos alerta pelos riscos de poder se repetir noutras palafitas do município do Recife.

A construção de palafitas e favelas é a fratura exposta das adestrações da Prefeitura do Recife do PT e do PSB, que nunca abordaram a questão de frente. Os prefeitos sempre optaram pela transferência de responsabilidades afirmando que esse é um problema nacional e que o Ministério do Desenvolvimento Regional não libera dinheiro para fazer casa popular no município.

E mesmo as nossas universidades não ofereceram soluções de baixo custo que pudessem ajudar a enfrentar esse problema. Também a nossa legislação municipal não ajuda para a adoção de soluções construtivas mais flexíveis.

Somente a partir do Conjunto do Encanta Moça - para onde deveriam ir parte dos moradores das favelas vizinhas do Beco do Sururu - se adotou a tecnologia de concreto modular. Com o argumento de terreno caro e falta de verba do Governo Federal. O Governo do Estado e PCR ficaram vendo a situação piorar.

Até que um dia o fogo pegou.

Comentários

Últimas notícias