Coluna JC Negócios

Indústria vê São João como oportunidade e muda lógica das festas de junho

Na verdade, gora a estrutura montada pelas prefeituras de cidades do interior de Pernambuco e Paraíba ficaram grande demais em termos de negócios.

Publicado em 25/06/2024 às 0:05
Notícia

Na última sexta-feira, a cantora Elba Ramalho - num contundente desabafo - propôs que as prefeituras assumissem que estavam promovendo um festival em lugar das tradicionais festas de São João, que marcam a principal do mês de junho, cujo ápice se dá na noite de 23.

Elba Ramalho ao lado de Flávio José, Santana, Petrúcio Amorim, Jorge de Altinho e Alcimar Monteiro entre outros fazem parte do grupo de artistas nordestinos que se queixam da invasão de nomes nacionais nas tradicionais festas de junho nas cidades de Caruaru(PE) e Campina Grande(PB) que promovem as maiores festas na Região Nordeste e que cada vez mais abrem espaços para artistas ligados ao sertanejo e outros ritmos que rodam o Brasil em megaeventos durante todo ano.

Carlinhos Brown

Esse ano, Caruaru deixou estupefatos os nordestinos raiz ao convidar ninguém menos que o timbaleiro Carlinhos Brown que esteve na noite do dia 31 de maio duas semanas antes de Ivete Sangalo e o produtor musical Alok ambos os responsáveis como principais atrações dos maiores públicos da chamada Capital do Forró como públicos de 150 mil pessoas segundo contagem da prefeitura.

Há pouca chance desse movimento ser revertido em favor dos chamados sertanejos raiz que propagam festa com a marca de pé de serra. Embora, tanto Caruaru como Campina Grande fazerem questão de propagar que reservam datas e locais de menor capacidade de público para eles, e consequentemente, cachês menores.

Divulgação
Petrobras convida cantor João Gomes para lançar nova música no Dia de São João em Caruaru (PE). - Divulgação

João Gomes

Nomes como João Gomes  9convidado pela Petrobras para lançamento de nova música no Dia de São João. em Caruaru) se incorporaram ao cast de artistas nacionais que são contratados por grandes cachês e que em junho rodam as cidades do Nordeste ocupando um espaço que antes era reservado aos artistas regionais.

O protesto de Elba Ramalho e seus colegas nordestinos é justo. Mas a verdade é que a estrutura montada pelas duas cidades em Pernambuco e Paraíba ficou grande demais em termos de negócios.
Assim como para outras cidades de Pernambuco como Petrolina e Araripina que apostam em megaeventos e onde os nomes que estão na onda independente do som que produzem são capazes de atrair milhares de jovens que lotam os pátios construídos e que funcionam como um grande shopping center de atrações musicais. São eles que segundo as empresas produtoras decidem se uma festa de São João será sucesso de público ou não.

Luiz Gonzaga

O que, certamente, os artistas com a marca do estilo musical perpetuado por Luiz Gonzaga, ainda ícone do estilo chamado de forró é caracterizado pela sanfona, pelo zabumba e pelo triângulo não perceberam é que o evento São João deixou de ser uma festa paga apenas pelas prefeituras para se incorporarem ao calendário da indústria de produtos cada vez mais não associados ao evento pela oportunidade de exposição de suas marcas.

E isso passou a ser importante a partir de 2022 quando indústrias começaram a desenvolver embalagens comemorativas de seus produtos. Isso já existia como estratégia de marketing desde que a Cachaça Pitú passou a encomendar um milhão embalagens especiais de latinhas de 350 ml, mas esse ano até a palha de aço Bombril decidiu não só criar uma embalagem especial como estar presente na festa com espaços físicos em Caruaru.

Divulgação
Em Caruaru, Garoto iniciou suas ações em abril com o São João na Roça, levando o Caminhão Palco. - Divulgação

Bombril no forró

Elas não estavam sozinhas. As cervejarias já haviam chegado. Em Caruaru, Garoto iniciou suas ações em abril com o São João na Roça, levando o Caminhão Palco Garoto para 13 vilas da região. A Petrobras convidou o cantor João Gomes para lançar uma música que abraçasse como tema a energia das festas, a cultura e a diversidade em plena noite de São João.

A cantora Rafaella Santos, ícone do brega pernambucano, está com Michel Teló na campanha do Assaí. A Casa da Deline marca presença na Estação Ferroviária com um estande interativo no formato de casa apresentando a nova Deline sabor milho além da A Kombi Deline, também em Caruaru.

E isso já é motivo para que cidade como Caruaru inaugure sala exclusiva para abrir negociação para o São João de 2025 adotando a mesma estratégia de empresas promotoras de feira que negociam a maior parte dos espaços da feira seguinte durante as feiras que montam.
Isso quer dizer que a grande quantidade de patrocinadores do próximo ano já está sendo comercializada independentemente da reeleição do prefeito Rodrigo Pinheiro que tenta um novo mandato.

Destino Caruaru

O São João de Caruaru, é verdade, atingiu o estado da arte como negócio até porque, segundo ele mesmo informou ao Tribunal de Contas do Estado, sua administração gastou R$14,34 milhões apenas como o pagamento de cachês de artistas, segundo ele, 82% locais.

E foi responsável por uma receita de patrocínio de R$30 milhões que foram decisivos para o pagamento da sua folha de pessoal na última sexta-feira 22 de R$35 milhões. Pinheiro acredita que em 2025, Caruaru poderá dizer que já consegue pagar uma folha de pessoal apenas como receita de patrocínio de sua principal festa do ano.

TCE vê caches

Isso ainda não acontece com as demais cidades em Pernambuco que informaram ao TCE que estão gastando R$90 milhões. Depois de Caruaru vem, Araripina (R$6,73 milhões), Petrolina (R$6,37 milhões), Vitória de Santo Antão (R$5,76 milhões) e Gravatá (R$4,27 milhões ) fechando o Top Five.

Mas não há qualquer dúvida que o evento São João virou um negócio para elas mesmo que ainda dependem de verbas do próprio prefeitura, emendas de deputados votados no município e da articulação das empresas de shows que conseguem patrocínio via recursos da Lei Rouanet destinados a promoção cultural e às vezes nem está como suas marcas expostas claramente nas festas.

Rio e São Paulo

E que a indústria depois das cervejarias, as redes de TV aberta, companhias aéreas e agências de turismo já descobriram.

A despeito da tristeza dos artistas que já foram as grandes atrações de Caruaru e Campina Grande, mas que continuam sendo em dezenas de outras cidades do Nordeste e mais recentemente no Rio de Janeiro e São Paulo que passaram a também organizarem eventos nas datas de junho.

É claro que o São João que virou marca na icônica com a fugira de Luiz Gonzaga só existe hoje nos eventos chamados de pé-de-serra e que estão sendo colocados em espaços menores e que não deixam de ser igualmente interessantes para um grande público que não abre mão da tradição.

Forró raiz é cult

O São João Raiz virou cult e o evento de massa virou mesmo um festival como, aliás, já é tratado em cidades como São Luís (MA) onde a festa tem o ritmo inteiramente diferente e em Feira de Santana (BA) com artistas baianos.

Assim como Caruaru e Campina Grande vão continuar na disputa de terem uma megafesta que se estende por todo o mês de junho onde a grade de artistas está cada vez mais aberta. Especialmente para que mais empresas agreguem suas marcas. Embora se recusem a assumir que é operam um grande festival como afirma Elba Ramalho.

Continua na página ao lado

Divulgação
Christopher Podgorski, da Scania, anunciou R$ 2 bilhões no polo industrial em São Bernardo do Campo (SP). - Divulgação

Scania investe

A Scania anunciou nova fase de investimento no Brasil em sua jornada de descarbonização dos ecossistemas de transporte e logística. Serão R$2 bilhões no período de 202/2028 que vão se somar ao ciclo de R$1,4 bilhão já desembolsados entre 2021 e 2024. O presidente e CEO da Operação Industrial da Scania, Christopher Podgorski, ressaltou que o polo industrial em São Bernardo do Campo(SP) numa área de 427 mil m² contem o que existe de mais avançado na indústria com nove fábricas operando conjuntamente para produzir caminhões, ônibus, motores industriais e marítimos, todas elas constantemente atualizadas”.

Força da TIC

O setor de Tecnologia da Informação (TI) obteve receita de R$348,2 bilhões em 2023, segundo relatório da Associação das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), apresentando um crescimento de 8,5% em relação a 2022. Os dados incluem TI, Software, Serviços, Nuvem, BPO, Business Consulting, Estatais, Hardware e Exportações. E se juntar TIC (reúne TI e Telecom a cifra chegou a R$707, 7 bilhões.

Tramontina atacado


A Tramontina criou um e-commerce exclusivo para vendas B2B (business-to-business). O atendimento, antes feito apenas por representantes, teve um reforço com a digitalização facilitando a gestão de negócios do cliente. A empresa possui mais de 22 mil itens no portfólio que atende os segmentos de hospitalidade e food service, restaurantes, bares, cafeterias e hoteis, além de varejos, atacados e revendedores que agora tem um foco mais ajustado.

 

Divulgação
Mais de 82% que as habilidades atuais usadas no cotidiano não serão suficientes nos próximos anos segundo revela pesquisa. - Divulgação

Trabalho amanhã

Uma pesquisa do Indeed com 1.000 trabalhadores no Brasil perguntou a eles como eles se sentem em relação ao futuro do trabalho, incluindo a pergunta se desejam mudar de emprego nos próximos cinco anos. O resultado é surpreendente pois 82% que as habilidades atuais usadas no cotidiano não serão suficientes nos próximos anos. Deste número 68 afirma que precisarão aprender a usar novas tecnologias, inclusive aprender a trabalhar com inteligência artificial e com novos sistemas ou processos, com 41% dos entrevistados.

A pesquisa também perguntou quais tipos de treinamento seriam mais úteis para se preparar para os próximos cinco anos. E citaram a necessidade o aprendizado de novos idiomas (38%) e análise crítica e interpretação de dados (38%), novas formas de trabalhar em grupo (26%) ou aprender mais sobre linguagens de programação e códigos (26%). Os trabalhadores preferem cursos online (44%) e qualificações formais que emitam certificados (42%).

Trabalho triste

Relatório State of the Global Workplace do Gallup revela que a porcentagem de colaboradores empenhados com o seu trabalho permaneceu em 23%, igual ao registrado em 2022. Entretanto, a maioria (62%) dos funcionários admite não estar engajada o suficiente na companhia, enquanto 15% descrevem sua experiência de trabalho ruim e um desejo ativo de procurar novas oportunidades.

HSL 30 anos

O Hospital Santa Luzia (HSL) que está completando 30 anos se consolida cada vez mais como referência nacional na área de oftalmologia e otorrinolaringologia. Localizado no bairro de Casa Forte, o hospital ocupa quase cinco mil metros quadrados de área total. Desde 2021, o Santa Luzia faz parte do grupo Vision One, que reúne hospitais de olhos renomados e respeitados em diversos estados e cidades, como Brasília, Cuiabá, Teresina, Balneário Camboriú, Rio de Janeiro e São Paulo. As marcas e unidades do grupo são conhecidas pela inovação, qualidade do serviço e atendimento humanizado.

O hospital investe constantemente em novos equipamentos, tudo para oferecer o que há de mais moderno para os pacientes e realizar procedimentos menos invasivos, com uma recuperação mais rápida. E obteve o credenciamento para oferecer Residência Médica em Oftalmologia em 2007, graças ao prestígio técnico-científico de seu corpo clínico. O Hospital é mantenedor da Fundação Santa Luzia, também localizada em Casa Forte, com atendimento 100% via SUS.

Bacio di Latte.

O Plaza Shopping opera a nova loja da Bacio di Latte. A marca recebeu investimento de R$1,5 milhão e ocupa espaço de 55m com destaque para 19 sabores de gelato, as linhas Mercato e Caffeteria, além de confeitaria completa.

Tags

Autor