COLUNA MEU PET

Outubro Rosa Pet: saiba como identificar sinais de câncer de mama

Diagnóstico precoce faz diferença no tratamento da doença

Amanda Rainheri
Amanda Rainheri
Publicado em 15/10/2020 às 15:03
Notícia

Reprodução/Pixabay
Doença pode acometer cadelas e gatas - FOTO: Reprodução/Pixabay
Leitura:

Por Amanda Rainheri, da Coluna Meu Pet

Muita gente não sabe, mas os pets, como os humanos, também podem desenvolver câncer de mama. E no mês de outubro, quando o mundo se mobiliza para tratar do assunto através do Outubro Rosa, veterinários também lançam o alerta, que vale para cadelas e gatas, em busca de diagnósticos precoces. 

>> Muito calor? Saiba como cuidar do seu pet

>> Governo publica lei que aumenta penas de maus-tratos contra cães e gatos

A neoplasia maligna (tumor nas mamas) é o tipo de câncer mais comum desenvolvido nestes animais. Geralmente, o surgimento de nódulos, feridas na mama ou ao redor da pele são diagnosticados a partir dos 7 anos de idade.

Nesses casos de tumor, quanto menor for o tamanho do nódulo e precocemente for identificado, maior serão as possibilidades de cura, por isso é importante que o dono fique atento aos sinais e realize o diagnóstico o quanto antes.

De acordo com a médica veterinária oncologista Ana Paula Teixeira, do grupo Vet Popular, a castração antes do primeiro cio diminui em torno de 0,6 a 1% de chances de câncer; após o segundo cio, 5 a 8%, e 25% no terceiro período.

Diagnóstico


O diagnóstico pode ser realizado através do exame de citologia, e em caso de aparecimento de algum nódulo, recomenda-se apalpar a barriga do animal, e mesmo aparentando tratar-se apenas de um músculo, o recomendável é levar o pet ao veterinário para investigação.

Alguns dos fatores que contribuem para a manifestação da doença são obesidade, questões hormonais e pré-disposição genética.

Principais sintomas
Nódulos na região das mamas, feridas, secreção, falta de apetite, inchaço e vômito.

Tratamentos
O tratamento pode ser realizado através de cirurgia ou quimioterapia. Vale lembrar que cada caso é particular, mas os tumores em gatas tendem a ser mais agressivos e metastáticos.

LEIA MAIS EM https://jc.ne10.uol.com.br/colunas/meu-pet

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias