Informações e dicas para cuidados do seu bicho de estimação, seja ele um gato, cachorro, pássaro ou peixe de aquário, além de dicas de alimentação, adestramento, saúde e outros serviços
Meu Pet

Fique por dentro das novidades do mundo pet e confira as melhores dicas para cuidado de gatos, cachorros e outros bichinhos de estimação

DOENÇA

Diabetes em pets: Como lidar?

Os principais sintomas em cães são a sede em excesso, a alta produção de urina e a perda de peso progressiva

Paloma Xavier
Cadastrado por
Paloma Xavier
Publicado em 03/01/2022 às 19:19 | Atualizado em 03/01/2022 às 19:32
PIXABAY
A incidência dessa doença é maior em cachorros de meia idade e de raças de pequeno porte, como beagle - FOTO: PIXABAY
Leitura:

Você sabia que os pets também podem ter diabetes? O problema de saúde não está restrito apenas à saúde dos humanos e é comum entre cães e gatos. Mas como lidar com um bichinho com diabetes?

O diabetes mellitus é uma doença causada pela produção insuficiente de insulina pelo pâncreas ou por outros motivos que possam interferir na "liberação" normal do hormônio. Seus principais sintomas em cães são a sede em excesso, a alta produção de urina, a perda de peso progressiva e o aumento exagerado do apetite. Ao identificar esses sintomas, o tutor deve levar o pet para uma avaliação do médico veterinário.

A incidência dessa doença é maior em cachorros de meia idade e de raças de pequeno porte, como beagle, dachshund, poodle e schnauzer.

Os motivos para a doença se manifestar são variados. Pode ser por questões genéticas, infecções, alimentação inadequada, tumores e medicamentos mal administrados. Mas as principais causas para o desenvolvimento de diabetes são a obesidade e a idade avançada.

O diagnóstico é confirmado através de exame clínico e laboratorial. O médico veterinário mede a glicemia (o nível de açúcar no sangue no momento) e pede um exame de urina (para confirmar a presença de glicose, que não aparece em animais saudáveis).

Assim como para os humanos, o tratamento de diabetes para pets envolve a aplicação de insulina. Geralmente as doses são administradas duas vezes ao dia. O pet também tem que manter uma alimentação saudável e adequada. A dieta será determinada pelo veterinário, e os petiscos ou alimentos fora dela ficam proibidos.

Existem rações específicas para pets diabéticos ou obesos, que serão orientadas pelo veterinário de acordo com o quadro do paciente. Elas jamais devem ser incluídas na dieta do sem o tutor consultar um profissional.

Prevenção

A prevenção do diabetes é possível, mesmo que a doença também possa ser desencadeada pela genética. Então, o tutor deve se preocupar em proporcionar uma vida mais saudável ao seu pet, com alimentação controlada, exercícios regulares e não menos importante: acompanhamento veterinário.

Comentários

Últimas notícias