Por uma Ciclofaixa na Rua do Futuro, Zona Norte do Recife

Publicado em 13/10/2014 às 12:16
Leitura:
http://youtu.be/wt4LdF5DXKg   Coragem. É isso que quase mil pessoas, entre elas muitos ciclistas e adeptos da locomoção não-motorizada, estão cobrando do prefeito Geraldo Júlio. Querem que o gestor tenha coragem de retirar ao menos cem vagas de estacionamento público para automóveis da Rua do Futuro, no bairro dos Aflitos, Zona Norte do Recife, para dar lugar a uma ciclofaixa bidirecional na via. Especialmente agora, depois que a prefeitura instalou na via o primeiro parklet da cidade. O movimento está sendo articulado nas redes sociais e vem mostrando força: em dois dias reuniu quase mil assinaturas online. A meta é chegar a 5 mil e, também por meio de outras ações, convencer o prefeito a implantar o equipamento. A proposta da ciclofaixa da Rua do Futuro foi elaborada em 2012 pelos ciclistas organizados, quando a Companhia de Trânsito e Transporte Urbano do Recife (CTTU) implantou rotas cicláveis na Estrada do Arraial e na Estrada do Encanamento, entre os bairros de Casa Amarela e Casa Forte. Na época, o órgão de trânsito voltou atrás e apagou 350 metros do equipamento da Estrada do Arraial, sob o argumento de que o trecho estava provocando muitas retenções na via e sendo usado na contra-mão pelas bicicletas. A grita dos ciclistas foi geral. Chegaram a repintar o trecho apagado e protestar com bicicletas para forçar a manutenção do equipamento. Mas não adiantou, a CTTU não mudou de decisão.   Fotos: Edmar Melo/JC Imagem Fotos: Edmar Melo/JC Imagem   Agora, depois que um trecho da Ciclofaixa Marquês de Abrantes, no Rosarinho, recém-inaugurada pela prefeitura, foi apagado - segundo a CTTU exclusivamente por critérios técnicos: a via não tem largura para receber o equipamento e tem duplo sentido de tráfego -, os ciclistas retomaram o projeto. A proposta é ampliar as rotas cicláveis da Zona Norte, prolongando os equipamentos da Estrada do Arraial e da Estrada do Encanamento. “A ideia é criar uma nova ciclofaixa, com três quilômetros. Ela sairia do Encanamento/Arraial, passando pelas Ruas Padre Roma, do Futuro, cruzaria a Amélia, pegaria a João Ramos, Cardeal Arcoverde, das Pernambucanas, Guilherme Pinto, Clemente Pereira, da Baixa Verde e Jenner de Souza, até chegar à Praça do Derby. Em 95% do trajeto existe estacionamento dos dois lados das vias. Então, basta do poder público apenas vontade e tinta!”, ensina um dos autores da petição e cicloativista, Felipe Malagueta.   Foto__Ed   Veja a petição: www.peticaopublica.com.br/pview.aspx?pi=ciclofaixanafuturo   CTTU NÃO PLANEJA IMPLANTAR NOVA ROTA A mobilização pela Ciclofaixa da Rua do Futuro tem grandes chances de ser em vão. A CTTU não pretende implantar o equipamento. O posicionamento sobre o tema foi dado por nota oficial, enviada pela assessoria de imprensa. Não houve entrevista. Na nota, a CTTU diz que uma possível implantação pode até ser estudada, mas que, no momento, não há qualquer previsão de adotá-la. Os argumentos do órgão são, como explica a nota, técnicos. Diz que a implantação do equipamento requer simulações e estudos de tráfego e que, embora toda a área onde a Rua do Futuro está inserida esteja sob análise dos técnicos da CTTU, não há prazos a serem divulgados. “Até 2016, a prioridade da CTTU é a conclusão dos projetos executivos das novas rotas cicloviárias já previstas, sendo as próximas na Avenida Antônio Curado e na Rua Inácio Monteiro, nos bairros do Engenho do Meio e Cordeiro, respectivamente. As vias terão conexão entre si, através da rota ciclável já existente no Canal do Cavouco, formando uma malha cicloviária de cerca de oito quilômetros. Essa é uma das premissas da Prefeitura do Recife, que pretende implantar 12 rotas cicláveis na cidade e formar uma malha cicloviária extensa, com 76 quilômetros implantados até o fim da gestão. É importante lembrar que, das rotas previstas para serem implantadas, já estão ativas a Ciclofaixa Marquês de Abrantes, no Rosarinho, e a Ciclofaixa Arquiteto Luiz Nunes, na Imbiribeira, implantadas em maio  e em setembro, que com as rotas já existentes, somam 34 quilômetros de traçados exclusivos para ciclistas na cidade”, diz a nota. A CTTU também não soube dizer quantas vagas de carro estão disponíveis nos dois quilômetros de extensão da Rua do Futuro, entre a Rua Padre Roma e a Rua Amélia. A informação foi solicitada para ser usada num comparativo com a proposta da nova ciclofaixa, que exigiria a retirada de cem vagas.     Rua do Futuro com a simulação da ciclofaixa proposta. Ilustração de Ronaldo Câmara/JC Rua do Futuro com a simulação da ciclofaixa proposta. Ilustração de Ronaldo Câmara/JC

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias