Ônibus a diesel e carros terão de pagar pedágio no centro de Londres

Roberta Soares
Roberta Soares
Publicado em 10/04/2017 às 18:36
Leitura:
[caption id="attachment_10088" align="aligncenter" width="748"]"Foto: Foto: Divulgação[/caption]A medida já está causando polêmica, mas se depender do prefeito Sadiq Khan, Londres terá uma área de Ultra Baixa Emissão na região central que vai restringir ao máximo a circulação de veículos com combustíveis fósseis. Entre eles, os famosos ônibus de dois andares da capital inglesa que ainda são movidos a diesel.A ideia é cobrar um pedágio de cerca de 13 libras (em torno de R$ 50) para carros e caminhões que usam combustíveis fósseis. A cobrança começaria em 2019 e nem os ônibus a diesel escapariam do pedágio. A ideia é, além de criar uma área mais agradável, estimular o transporte público limpo e os deslocamentos não motorizados.Atualmente, parte da frota de ônibus de Londres já é menos poluente, com veículos eléctricos ou híbridos, incluindo os famosos ônibus de dois andares. Para 2020, o prefeito pretende expandir a restrição para toda cidade. Outras cidades europeias, como Madri, Bruxelas, Paris, Stuttgart e Athenas também seguem o mesmo caminho para intensificar as restrições a veículos poluentes.Enquanto isso, no Brasil, o tema pedágio urbano soa quase como um insulto e, com medo de polêmica e desgaste, os gestores e políticos, em sua maioria, sequer dizem ao menos estudar o tema para o futuro. É a vida que segue.
  • Com informações do Portal do Transporte

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias