Integração temporal é ampliada nos ônibus da Região Metropolitana do Recife

Publicado em 08/08/2019 às 9:55
Créditos do VEM já teriam rendido R$ 185 milhões entre 2014 e 2018, segundo a ação. Foto: Sérgio Bernardo/Acervo JC Imagem
FOTO: Créditos do VEM já teriam rendido R$ 185 milhões entre 2014 e 2018, segundo a ação. Foto: Sérgio Bernardo/Acervo JC Imagem
Leitura:

Estado amplia a integração temporal no sistema de transporte. O quarto terminal a operar apenas com os cartões VEM será Santa Luzia, a partir de sábado (10/8). Foto: Diego Nigro/Arquivo JC Imagem

 

O pagamento das passagens exclusivamente com cartões eletrônicos segue sendo ampliada no sistema de transporte público da Região Metropolitana do Recife, tanto no serviço operado pelos ônibus como pelo metrô. A partir do próximo sábado (10/8), o Terminal Integrado Santa Luzia passa a funcionar apenas com os cartões eletrônicos VEM. É a quarta unidade com integração ônibus x metrô a adotar o novo modelo no Grande Recife e, embora seja um dos menores do sistema – tem três linhas e recebe menos de três mil passageiros por dia –, a intervenção do Estado representa a ampliação da integração temporal no setor, modelo que agiliza o embarque e ajuda no planejamento da operação.

Para quem não sabe, a integração temporal é uma tecnologia disseminada na maioria dos sistemas de transporte do País e do mundo, e que permite ao passageiro fazer diversos deslocamentos pagando uma única tarifa, geralmente por um período de duas horas, e sem a necessidade de estar numa estrutura física, como um terminal de ônibus, por exemplo. Em entrevista ao JC no último domingo, o atual secretário de Desenvolvimento Urbano de Pernambuco, Marcelo Bruto – cuja pasta responde pela gestão do sistema de transporte por ônibus da RMR –, afirmou que uma das metas atuais do Estado é a universalização da integração temporal e, consequentemente, o uso da bilhetagem eletrônica (os cartões VEM).

LEIA MAIS

Integração temporal será adotada na Estação Recife do metrô para barrar invasões

Com a missão de desatar os nós do transporte público  

 

TI Santa Luzia é mais um teste feito pelo Estado. Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem

 

“Percebemos que ajuda no combate à evasão, massifica a bilhetagem eletrônica e gera dados sobre o sistema. Temos visto todas as cidades indo nesse caminho porque ajuda a planejar, reduzir custos, ter entendimento em tempo real da operação”, afirmou o secretário. Segundo ele, depois do TI Santa Luzia virão outros terminais, inclusive as grandes unidades. “A gente aprendeu com a integração temporal no TI Recife (realizada em abril passado) que é necessário massificar a informação e distribuir cartões VEM, o que já começamos a fazer. Nos próximos três meses estaremos fazendo a distribuição de cartões gratuitamente. Fizemos doação de cartões em Santa Luzia e faremos em breve na Macaxeira, Jaboatão, Xambá e Tancredo Neves. Em Santa Luzia será doação e abertura simultaneamente. Nos outros haverá distribuição antes da abertura. Em relação à adoção da integração temporal, vamos fazer um projeto piloto em seis terminais integrados nos próximos dois meses: Além de Santa Luzia, Prazeres, CDU, Getúlio Vargas, Cosme e Damião e Abreu e Lima”, acrescentou. Segundo o secretário, a ideia é no ano que vem chegar aos grandes TIs, de Pelópidas a Joana Bezerra.  

Com as mudanças, o usuário que desembarcar no TI Santa Luzia em direção ao metrô deverá passar o cartão VEM na bilheteria do metrô para ter acesso à estação, sem o pagamento de uma nova tarifa. No sentido contrário, ao sair do metrô e entrar no TI para embarcar nas linhas 102 – TI Santa Luzia/Ibura, 106 – TI Santa Luzia/Parque Aeronáutica e 204 – TI Santa Luzia/Loteamento Jiquiá, o passageiro deverá acessar o ônibus obrigatoriamente pela porta dianteira e passar o cartão no validador do coletivo, girando a catraca para completar o embarque, sem o pagamento de uma nova tarifa. Para facilitar a vida dos passageiros e numa parceria com a Urbana-PE – o sindicato das empresas de ônibus –, estão sendo distribuídos gratuitamente cartões VEM para aquelas pessoas que nunca adquiriram e mediante cadastro realizado no próprio terminal. É possível fazer a recarga do cartão na máquina do VEM instalada no metrô ou com os operadores que estarão portando as máquinas de POS (sem a cobrança da taxa).

Últimas notícias