Um Náutico diferente

Carlyle Paes Barreto
Carlyle Paes Barreto
Publicado em 01/11/2011 às 17:37
Leitura:
O Náutico começou a ganhar o clássico uma semana antes. Quando dirigentes, conselheiros e colaboradores foram orientados a não comparecer em massa aos treinamentos, como costumavam fazer antes dos duelos contra o Sport. O nome do rival também foi menos repetido no período, deixando os jogadores alvirrubros mais tranquilos, pensando que o jogo era mais um na caminhada rumo à Série A. Bem diferente dos últimos encontros.Antes, falavam tanto no Sport que os jogadores sentiam pressão extra. Desnecessária até. Havia dirigente que chegava inflamado nos vestiários, oferecendo dinheiro para quem fizesse o gol da vitória contra ?a Coisa?. Acabando com qualquer planejamento tático.Desta vez, no entanto, houve blindagem. Apenas o presidente Berillo Júnior e dois diretores, Alexandre Melo e Zeca Cavalcante, que costumam ir sempre aos treinos, mantiveram a presença. E sem discursos paralelos.E como costuma falar o comandante timbu, Waldemar Lemos, tudo só se resolve com tranquilidade. O Náutico foi assim. Tranquilo. Sem perder, claro, a postura ofensiva. Além da pegada, retomada justamente no período mais importante, esta reta final.E assim seguiu o Clássico dos Clássicos. Talvez o de maior altivez timbu dos últimos anos. Sem dar brecha ao grande rival. Sem perder a paciência, ao contrário do adversário.Depois do resultado, aí sim, a explosão e os desabafos lembraram os velhos duelos. O lateral Peter disse que o Leão só era leão em sua jaula. E que fora dela era um gatinho. O próprio site oficial Timbu ironizou a visita leonina, com o título ?Volte sempre?. Amadorismo à parte, é melhor falar do rival assim. Após uma vitória. O nome dele é Waldemar Felipão, Givanildo Oliveira e Muricy Ramalho, entre tantos outros, são ou foram chamados de paizão. Mas a alcunha cai melhor em Waldemar Lemos. Ele cuida pessoalmente da vida dos seus atletas. E com afago. Não foram poucas as vezes que ligou para as esposas dos atletas para dar orientações ou saber sobre as refeições, descansos ou problemas de seus comandados. Futsal no Pan A Odepa confirmou em seu site o retorno do futsal aos Jogos Pan-Americanos. Será na próxima edição, em 2011, em Montreal, Canadá. Ou seja, medalha certa para o Brasil, com grande chance de ser de ouro. Footecon Jordi Mestre, diretor de base do Barcelona, confirmou presença no Footecon, fórum de debates que voltará a ser realizado no Rio, nos dias 6 e 7 de dezembro. O catalão vai falar sobre La Masia, a superescola de craques do futebol mundial. A panelinha contra PC PC Gusmão nem esperou para tomar café no dia seguinte à demissão. No domingo bem cedinho, já estava embarcando para o Rio de Janeiro. Nem quis se despedir dos jogadores. Ontem, por telefone, confidenciou a um amigo pernambucano: ?Willians, Saci, Thiaguinho e Renato não queiram nada.? Agora é com eles. Com a palavra, o leitor Leonino quer mudanças na direção ?Temos que formar diretores de futebol, mesclando o novo com o velho.?@PedroLLLacerda, pelo Twitter, criticando criticando a gestão de Gustavo Dubeux e pedindo oxigenação

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias