Ninguém entra. Mas sair...

Carlyle Paes Barreto
Carlyle Paes Barreto
Publicado em 27/06/2012 às 15:37
Leitura:
A mesma diretoria que contratou Jael, Jheimy, Thiaguinho, Diogo Oliveira e Wagner Silva os dispensou, ontem. Mandou embora também Germano, que voltou aos treinos após um ano lesionado. Uma prova que os dirigentes do Sport estão perdidos. E que planejamento passa longe do departamento de futebol rubro-negro.Claro que a saída de seis jogadores com salários altos abriria espaço para a chegada de outros que poderiam render mais. Isso seria possível anos atrás. Agora não. Para dispensar jogadores sem acordo, o custo é semelhante ao de mantê-los até o fim de seus contratos.Outro problema é que de nada adianta dispensar se não há perspectiva a curto prazo da chegada de reforços de verdade. Já são seis meses desde o anúncio do presidente Gustavo Dubeux, de que traria atletas diferenciados.Jael era um deles. Atacante caro e que pouco produziu. Até poderia ter tido mais chances, apesar do péssimo extracampo. Mas acontece que sempre atuou de forma isolada.Diogo, outro dispensado, é primeiro volante. E quando jogou em sua posição, não foi mal. Já Thiaguinho se prejudicou ao se esforçar para jogar como meia. Não teve uma chance sequer como lateral, com Mancini.Sem falar que o Sport já havia aberto mão de Marcelinho e Anderson Paraíba, Montoya, Julinho, Diogo Goiano e Jackson. Tirando os Paraíbas, todos foram trazidos nesta gestão.Mas apesar de todos os tropeços, ainda há tempo para recuperação. Felipe Azevedo e Henrique foram boas escolhas. Mas ainda falta um homem-gol, além de dois meias. Um pode ser uruguaio. E da seleção.Futebol modernoUm time com três atacantes é favoritíssimo contra uma equipe que joga sem nenhum homem de frente. Certo? Só se esse adversário, teoricamente defensivista, não fosse a Espanha, que joga com seis meio-campistas. E se quiser superar o futebol moderno da Fúria, hoje, Portugal terá que ousar. Tem atacantes para isso. Já defensores...Agonia leoninaAgoniados com a demora nas contratações, torcedores do Sport passaram a procurar reforços. Vários até foram à página do argentino Manso no Face e imploraram a sua vinda. Um exagerou, se passando por dirigente. Chegou a aumentar a proposta.Ponto para ManciniDurante o Fórum Esportivo, da Rádio Jornal, Vágner Mancini pediu desculpas pelo comportamento durante a coletiva pós derrota. E fez mais: ligou para o repórter que ele havia discutido. Belo gesto. Só falta parar de improvisar.Faz de conta com a FifaA comitiva da Fifa não entendeu tanta reclamação sobre a mobilidade urbana do Recife. Até porque Valcke e seus amigos foram de helicóptero do aeroporto à Arena e, depois, até o Centro de Convenções. Só pegaram carro de lá até o Palácio. Claro, com vias bem livres. É que batedores abriam alas. Muitos com a costumeira truculência de policiais que se acham generais.Com a palavra, o leitorRubro-negro lembra planejamento"Tudo isso pela falta de planejamento e insistência em ter segurado Mazzola até a final do Campeonato." @rickol55, pelo Twitter, logo após o anúncio das dispensas do Sport.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias