"Z" antes dos "erres"

Carlyle Paes Barreto
Carlyle Paes Barreto
Publicado em 03/03/2013 às 17:13
Leitura:
Ronaldo, Ronaldinho Gaúcho, Romário, Rivaldo e Roberto Carlos. Todos brilhantes, campeões do mundo, eleitos melhores do planeta e consagrados em todo mundo. Todos com nomes começando com a letra R. Mas todos atrás de Zico, maior jogador do Brasil, pós-Pelé. E hoje sexagenário.Verdade que Romário dominava a área. E que Ronaldo dominava as massas. Que Ronaldinho fazia malabarismo com a bola. Zico, porém, fazia um pouco de tudo. Sem a empáfia de um ou o marketing do outro.Também viveu drama com lesão grave, mas voltou com a mesma categoria.Talvez o maior cobrador de faltas da história da seleção brasileira. O melhor batedor de pênalti, sem dúvida. Mesmo tendo perdido um que lhe tirou a possibilidade de se igualar aos "erres", se a avaliação contar com título mundial.Mas Zico tem. A conquista em Tóquio com o Flamengo massacrando o Liverpool foi brilhante. Fechando com chave de ouro uma Libertadores disputadas em campos de batalha. Literalmente. E com o eterno camisa 10 como protagonista.Quem não se lembra da seleção de 82, a mais injustiçada de todas? Futebol-arte, jogo bonito. Basicamente por conta de Zico. Aqueles gols contra Nova Zelândia e Escócia são obras-prima.Assim como o que o Galinho fez no Arruda, driblando toda defesa da extinta Iugoslávia. Ou na vitória do Flamengo sobre o Santa Cruz, com cobrança de falta perfeita, encaminhando o título da Copa União de 87.Zico foi grande. Poderia ter sido maior se tivesse levado a seleção à conquistas maiores. Verdade. Mas se tivesse conseguido, a comparação seria com Pelé.Vencer e convencerÚnico time com 100% de aproveitamento no Pernambucano, o Santa Cruz terá que melhorar o futebol que vem apresentando, se quiser manter a liderança isolada do segundo turno. Apesar das duas vitórias, o tricolor não vem mostrando regularidade desde a saída de Renatinho (foto). Hoje, diante do inconstante Salgueiro, mais uma vez o Baixinho ficará de fora.Pouco mudouApesar de proibidas, as maiores organizadas estão frequentando os estádios em Pernambuco. Torcida Jovem e Inferno Coral vão além, estampando faixas nos jogos fora do Recife. Sem falar que os arrastões continuam no Recife.Dor de cotoveloAté para lembrar o prejuízo que Sport e Santa tiveram com as frustrantes eliminações, é sempre bom repetir: hoje saem os dois finalistas do Nordestão. Independentemente dos classificados, times mais fracos que os pernambucanos.Quadrado sem mágicaSem confiar em Felipe Menezes, o jogador mais regular do Sport na temporada, Vadão vai manter o esquema com quatro atacantes (um deles, Marcos Aurélio, recuado). Mas com Sandrinho (foto) começando o jogo, ao lado de Felipe Azevedo e Roger. Pode ser o diferencial num time que pouco corre e pouco ousa ofensivamente. Precisa ainda consertar a terrível defesa.Com a palavra, o leitorRubro-negro solidário a Roger"Simplesmente inconcebível a postura de um pseudotorcedor, agredindo Roger, pelo fato de ter uma filha com necessidades especiais. O futebol precisa ser repensado!"Fred Carvalho, por e-mail.

Newsletters

Ver todas

Fique por dentro de tudo que acontece. Assine grátis as nossas Newsletters.

Últimas notícias