Sport vence com espírito de 2008

Publicado em 01/07/2015 às 21:22
Leitura:
Não se pode imaginar um Sport x Inter, na Ilha, sem lembrar a épica batalha de 2008, quando o Leão eliminou o time gaúcho, base campeã mundial dois anos antes, pulando para as semifinais da Copa do Brasil. Especialmente com Durval e Nilmar em campo, remanescentes daquela vitória leonina por 3x1. E mais ainda com um Baptista no banco de reservas. Ontem, o rubro-negro jogou com o espírito daquela equipe. Vitória que consolidou o Sport na liderança do Brasileirão. Mostrando ainda que o Leão veio para brigar no pelotão de cima. Contra equipes do mesmo porte e, também, diante das potências. Como o Internacional. Assim como em 2008, o Inter começou melhor. E quase abriu o placar, com Rafael Moura. Foi só. A partir daí o Sport cresceu. Não tinha Daniel Paulista, Romerito, Luciano Henrique ou Carlinhos Bala. Mas Rithely, Régis, Marlone, André e Maikon Leite não deixaram a saudade vir. Pelo contrário. Fez a torcida continuar sonhando em chegar longe na competição. Marcando com agressividade (leal) e saindo com impressionante velocidade, o Leão impôs a maior derrota no ano para o único brasileiro nas semifinais da Libertadores. Deixando os colorados sem cor. Batido e abatido. Talvez pensando que este Sport pode até ser melhor que aquele de 2008. Ou pelo menos tão competitivo.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias