Coluna Planeta Bola

Revolução pernambucana também no futebol

Começo de ano de Sport, Náutico e Santa Cruz deveria deixar ligado sinal de alerta geral

Carlyle Paes Barreto
Carlyle Paes Barreto
Publicado em 09/03/2020 às 11:05
Notícia
ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Jogadores do Sport enviaram carta para o presidente Milton Bivar - FOTO: ALEXANDRE GONDIM/JC IMAGEM
Leitura:

Por Carlyle Paes Barreto, da Coluna Planeta Bola

O Afogados ser o único remanescente de Pernambuco na Copa do Brasil já seria sinal de alerta. E agora, com Sport e Náutico ameaçados de ficar fora da segunda fase do Estadual, é hora de dar um freio de arrumação.

Há algo errado, generalizado e que não pode ser encoberto apenas com a lembrança de heranças malditas, falhas de arbitragem ou seguidas lesões. É preciso uma nova revolução pernambucana. Agora no futebol.

 

É verdade que as gestões alvirrubra e rubro-negra pegaram dívidas impagáveis em curto e até médio prazos. Mas não podem ficar sob esta coberta. A campanha irregular vai além desse passivo.

 

Mesmo com todos problemas, Sport e Náutico não poderiam estar tão atrás do Salgueiro e até mesmo do Santa Cruz, clube com débitos bem maiores, em divisão inferior e com elenco mais limitado. Nem com menos pontos que o novato Retrô. E chegando à última rodada precisando ganhar, para não correr risco real de disputar um quadrangular contra o rebaixamento à Série A2.

O que não deixa de ser um castigo para um planejamento mal executado.

 

Revolução que deveria atingir também o Santa. A liderança do Pernambucano não o isenta de vários problemas. Dentro e fora do campo. Assim como seus rivais.

Mais textos da Coluna Planeta Bola em www.jc.com.br/planeta-bola

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias