Planeta Bola

Nordeste sofre em todas esferas do futebol nacional

Nenhum árbitro apitando a Série A, apenas um treinador na elite e raros jogadores convocados atuando por um clube da região

Carlyle Paes Barreto
Carlyle Paes Barreto
Publicado em 04/12/2020 às 12:15
Notícia

Diego Nigro/JC Imagem
Diego Souza foi último jogador em atividade num clube do Nordeste a ser convocado para a seleção brasileira - FOTO: Diego Nigro/JC Imagem
Leitura:

Por Carlyle Paes Barreto, da Coluna Planeta Bola

Alguém lembra o último jogador convocado para a seleção brasileira atuando num clube do Nordeste? Um árbitro da região apitando final de campeonato nacional? Algum treinador nordestino na Série A? Mais que coincidência, retrato de uma parte importante do País que vem sendo cada vez mais discriminada. Também no futebol.

O encontro que a Associação Nacional dos Árbitros de Futebol, que começou nesta sexta-feira, no Recife, dá panorama sobre isso. Detalhando o afastamento dos profissionais fora do eixo nas principais competições. Se o Sul, com apenas três estados, é responsável por 42% da arbitragem na Série A, o Nordeste tem menos de 9% de representação. O Norte, zero! Na Série C, o inverso. Apenas 14% é sulista, enquanto 36% dos jogos são apitados por nordestinos. Será apenas pela qualidade? Sem ignorar a naturalidade do gaúcho Leonardo Gaciba, presidente da Comissão Nacional de Arbitragem.

Mas não é apenas no apito. Apenas um técnico nordestino na Série A, o baiano Marcelo Chamusca no Fortaleza. Nenhum na Segunda Divisão. Poucos na Terceirona.

Seleção? Ah, tem o alagoano Roberto Firmino. Mas nenhum convocado atuando na região. O último, aliás foi Diego Souza. Há três anos. Além dele, apenas Douglas Santos, na última década. Somente cinco neste século!

Curioso? Sim. Coincidência? Não. Triste.

Mais textos da Coluna Planeta Bola no www.jc.com.br/planeta-bola

 

Comentários

Últimas notícias