Em negociação, Governo vai propor aumento no valor da hora extra para a Polícia Militar

Publicado em 04/01/2017 às 15:35
Por conta da operação padrão, parte do efetivo da Polícia Militar deixou de participar do programa de jornada extra. Foto: JC Imagem/Arquivo
FOTO: Por conta da operação padrão, parte do efetivo da Polícia Militar deixou de participar do programa de jornada extra. Foto: JC Imagem/Arquivo
Leitura:
Por conta da operação padrão, parte do efetivo da Polícia Militar deixou de participar do programa de jornada extra. Foto: JC Imagem/Arquivo Por conta da operação padrão, parte do efetivo da Polícia Militar deixou de participar do programa de jornada extra. Foto: JC Imagem/Arquivo Para tentar acabar de vez com a queda de braço com a Polícia Militar, o Governo de Pernambuco pretende negociar com a categoria um aumento do valor pago pelas horas extras. A reunião acontece na tarde desta quarta-feira (04), e pode pôr fim à operação padrão, que, entre outras coisas, prevê que os policiais militares não aceitem participar dos PJes (Programa de Jornada Extra). Sem efetivo suficiente, o programa tem sido a principal arma da Secretaria de Defesa Social para garantir policiamento ostensivo nas ruas. Atualmente, os policiais recebem R$ 120 por oito horas trabalhadas. O valor a ser pago, caso o Governo do Estado e a categoria fechem acordo, ainda não foi divulgado. A operação padrão completa 30 dias nesta quinta-feira (05). E foi definida como alternativa à greve que seria aprovada pela categoria, mas foi barrada pela Justiça. Os militares exigem reajustes salariais e melhorias nas condições de trabalho. Representantes da Associação de Cabos e Soldados chegaram a ser presos por promoverem uma assembleia para discutir a possibilidade de paralisação. A negociação desta quarta-feira será entre os comandantes da Polícia Militar de Pernambuco com o Governo do Estado. Os representantes das associações da categoria não foram convidados. Leia Mais SDS cancela férias dos policiais civis e militares em janeiro PMs que ameaçarem colegas que queiram dar plantões podem ser presos Governo de PE altera decreto sobre transferência de policiais civis e militares  

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias