Justiça manda transferir assaltantes de bancos do Cabo para presídio federal

Publicado em 06/03/2017 às 6:00
Dos dez integrantes da quadrilha de assalto a bancos, cinco foram mortos em confronto com a polícia. Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
FOTO: Dos dez integrantes da quadrilha de assalto a bancos, cinco foram mortos em confronto com a polícia. Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem
Leitura:
Dos dez integrantes da quadrilha de assalto a bancos, cinco foram mortos em confronto com a polícia. Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem Dos dez integrantes da quadrilha de assalto a bancos, cinco foram mortos em confronto com a polícia. Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem Por medida de segurança, a Justiça pernambucana determinou que quatro suspeitos presos por explodir bancos no município do Cabo de Santo Agostinho sejam transferidos para um presídio federal. A decisão foi tomada pela juíza Mirna dos Anjos Tenório, da Comarca de Jaboatão dos Guararapes, durante audiência de custódia dos presos. A magistrada pontou que a transferência é necessária "a fim de garantir a segurança social e evitar a fuga dos detentos". A decisão atende pedido do Ministério Público de Pernambuco, que solicitou que os presos sejam levados para o presídio federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte, estado de onde os suspeitos vieram para assaltar bancos em Pernambuco. A juíza levou em consideração ainda o depoimento de Geraldo Silva Andrade Júnior, um dos suspeitos presos na operação policial. Ele afirmou que temia pela própria vida se permanecesse em um presídio de Pernambuco, pois ele não teria ligação com nenhuma facção do Estado. Geraldo, que já cumpriu pena por homicídio e roubo, estava em regime aberto. Somente nos fins de semana é que tinha por obrigação se apresentar ao sistema penitenciário. Também foram autuados em flagrante Gustavo Luiz do Nascimento, Wildemberg Martins de Souza e Alann Jhon da Cruz Silva. Estes dois últimos só tiveram as identidades confirmadas na sexta-feira, um dia após a prisão porque apresentaram documentos falsos à polícia. Ambos são foragidos do sistema prisional do Rio Grande do Norte. No Fórum de Jaboatão dos Guararapes, todos os quatro suspeitos ouvidos confessaram a investida aos bancos do Cabo de Santo Agostinho. "Tendo eles narrado com riqueza de detalhes a ação e organização do grupo", pontou a magistrada, em decisão sobre a prisão preventiva deles. Um ofício com a solicitação da transferência dos presos para uma unidade federal foi encaminhada ao Departamento Penitenciário Nacional. No total, cinco suspeitos foram presos e outros cinco foram mortos em confronto com a polícia. Na ação, o grupo criminoso explodiu bancos, atirou em delegacia e fez reféns. Ailton Maciel de Oliveira, que foi baleado durante a prisão, permanece sob custódia de polícia. Somente após receber alta, será encaminhado ao Centro de Observação e Triagem (Cotel), em Abreu e Lima. Investigações Operação da polícia após ataques a bancos resultou na prisão de cinco suspeitos e na morte de outros cinco. Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem Operação da polícia após ataques a bancos resultou na prisão de cinco suspeitos e na morte de outros cinco. Foto: Bobby Fabisak/JC Imagem A polícia ainda não confirma, mas o grupo pode ter relação com outras investidas cinematográficas em Pernambuco, a exemplo do ataque à empresa de transporte de valores Brinks. Digitais dos suspeitos e de materiais apreendidos estão sendo analisados pelos peritos criminais e papiloscopistas do Estado. Leia Mais Justiça acata denúncia contra líder de quadrilha de assaltos a bancos MPPE investiga suspeita de nova pirâmide financeira em Pernambuco  

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias