Saúde

Velho coronavírus: "Bem menos agressivo do que o Covid-19", diz secretário

Médico infectologista e pediatra, o secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia, tira dúvidas sobre os tipos de coronavírus

Publicado em 03/03/2020 às 14:51
Entrevista
FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Jailson Correia, médico e secretário de Saúde do Recife, alerta para risco de jovens se infectarem pelo novo coronavírus - FOTO: FELIPE RIBEIRO/JC IMAGEM
Leitura:

Neste entrevista, o secretário de Saúde do Recife, Jailson Correia conversa com a repórter Cinthya Leite sobre semelhanças e diferenças entre os tipos de coronavírus

JC – Quais as semelhanças entre os coronavírus?

JAILSON CORREIA – Quando se estudam os tipos específicos de coronavírus, e desde a década de 1960 eles são conhecidos, vemos que há um tipo deles que são zoonoses (doenças capazes de ser transmitidas entre animais e seres humanos). Eles causam infecções respiratórias e gastrointestinais. Então, os institutos de pesquisa encontram vários desses coronavírus, inclusive o OC43 (identificado em um dos casos descartados para Covid-19 em Pernambuco) em pacientes sintomáticos com doenças respiratórias ou diarreias.

JC – E por que os coronavírus também têm suas diferenças?

JAILSON – Eles podem sofrer mutações quando há combinações entre diferentes tipos de vírus que circulam entre animais. Essas mutações podem tornar o agente mais agressivo e transformá-lo em mais infectante. Um exemplo é o Sars-CoV (veja quadro à direita), que causou doença com distribuição mundial, letalidade de 9,6% e transmissibilidade mais baixa. Ele causou uma epidemia, mas foi autocontido. Outro que sofreu mutação Mers-CoV, que circulou de forma restrita, com taxa de transmissão menor e taxa de letalidade alta, em torno de 35%. 

JC – O que podemos dizer do novo coronavírus?

JAILSON – Ainda não se sabe de que combinação de vírus de animais ele é feito. Tem letalidade menor do que Sars e Mers, mas talvez um pouco acima do influenza; o quanto acima ainda não sabemos. Estimativas atualmente consideram casos da China. Fora desse país, a mortalidade se mostra menor. E sobre a transmissibilidade do novo coronavírus, podemos dizer que cada infectado pode passar o vírus, em média, para duas ou três pessoas. Por isso, ele tem risco de transmissão em vários países; ele é transmitido para mais pessoas do que o Sars e o Mers. Em comparação com estes dois últimos, o novo coronavírus é mais transmissível e menos letal.

JC – E o beta coronavírus OC43?

JAILSON CORREIA – Ele causa doença leve a moderada e tem baixa letalidade. Certamente é bem menos agressivo do que o novo coronavírus.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias