imunização

Bolsonaro diz que compra de seringas está suspensa até que preços voltem ao normal

O presidente disse ainda que os estados e municípios têm estoques do material para o início da vacinação contra a covid-19

Marcelo Aprígio
Marcelo Aprígio
Publicado em 06/01/2021 às 9:59
Notícia
ISAC NÓBREGA/PR
"Os preços [das seringas] dispararam e o MS suspendeu a compra até que os preços voltem à normalidade', postou o presidente - FOTO: ISAC NÓBREGA/PR
Leitura:

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou, por meio das redes sociais, nesta quarta-feira (6), que o Ministério da Saúde suspendeu a compra de seringas "até que os preços voltem à normalidade". O chefe do Poder Executivo nacional disse ainda que os estados e municípios têm estoques do material para o início da vacinação contra a covid-19.

"Como houve interesse do Ministério da Saúde em adquirir seringas para seu estoque regulador, os preços dispararam e o MS suspendeu a compra até que os preços voltem à normalidade", escreveu o presidente.

"Estados e municípios têm estoques de seringas para o início das vacinações, já que a quantidade de vacinas num primeiro momento não é grande", acrescentou.

- O Brasil consome 300 milhões de seringas por ano. Também somos um dos maiores fabricantes desse material. - Como...

Publicado por Jair Messias Bolsonaro em Quarta-feira, 6 de janeiro de 2021

Tentativa de compra

Na semana passada, o ministério fracassou na primeira tentativa de comprar seringas e agulhas para a imunização. Das 331 milhões de unidades que a pasta tem a intenção de comprar, só conseguiu oferta para adquirir 7,9 milhões no pregão eletrônico. O número corresponde a cerca de 2,4% do total de unidades que a pasta desejava adquirir.

A compra de seringas e agulhas costuma ser feita por estados e municípios. Durante a pandemia, porém, o ministério decidiu centralizar estes insumos. Após o fracasso na primeira tentativa de compra, o governo federal restringiu a exportação de seringas e agulhas.

Comentários

Últimas notícias