COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Pernambuco vai retirar a obrigatoriedade da máscara em dezembro? Veja o que diz o secretário de Saúde

Em coletiva de imprensa, André Longo também falou sobre o Carnaval

Cinthya Leite
Cinthya Leite
Publicado em 25/11/2021 às 19:56
Notícia
HEUDES RÉGIS/SEI
André Longo anunciou avanços no plano de convivência com a covid-19 nesta quinta-feira (25) - FOTO: HEUDES RÉGIS/SEI
Leitura:

Em Pernambuco, as autoridades sanitárias tinham a expectativa de retirar a obrigatoriedade do uso da máscara quando a taxa de cobertura vacinal contra covid-19 (esquema completo) atingisse 80%. Atualmente, 5.605.997 pernambucanos (72,88%) já completaram seus esquemas vacinais, o que corresponde a 73%.

Leia também: Em Pernambuco, 'passaporte da vacina' será obrigatório para frequentar estabelecimentos públicos; veja a partir de quando

Mesmo perto do índice de 80%, o Estado volta atrás e diz que ainda não é o momento de se pensar sobre a retirada dessa exigência. "Não vamos retirar a obrigatoriedade da máscara, como se aventou essa possibilidade em dezembro, pensando em termos 80% de pessoas completamente vacinadas no próximo mês. A questão é que não há segurança sanitária para retirada da máscara em locais públicos", disse, em coletiva de imprensa nesta quinta-feira (25), o secretário de Saúde de Pernambuco, André Longo.

O depoimento dele vem num momento em que a Europa volta a ter uma explosão de casos de covid-19. "Vemos a situação de Portugal, que retirou a obrigatoriedade da máscara quando se alcançou 80% da população vacinada. Mas agora o país voltou com a exigência, pois vê os casos aumentarem."

Além disso, André Longo também falou sobre o Carnaval e destacou que o Estado não tem pressa em definir se haverá ou não a festa, assim como as comemorações de Réveillon. "Muito provavelmente a decisão sobre o Carnaval não será tomada este ano. Nós vamos observar o cenário epidemiológico para a tomada de decisão. Não temos pressa para fazer isso. A gente respeita muito todo o contingente que está envolvido no Carnaval. Por isso mesmo, a gente tem que observar os cenários e o que está acontecendo no mundo, o que está acontecendo no Brasil para a tomada de decisão com o maior suporte científico possível", destacou.

O secretário de Planejamento e Gestão de Pernambuco, Alexandre Rebêlo, lembrou que faltam ainda três meses para o Carnaval. "Temos 3 meses pela frente (até o Carnaval), e já vimos esta cena (aumento de casos de covid) ocorrer antes olhando para a Europa em março de 2020. Vamos esperar o momento adequado para decidir (sobre o Carnaval)", afirmou Rebêlo.

Comentários

Últimas notícias