COLUNA JC SAÚDE E BEM-ESTAR

Instituto Adolfo Lutz confirma dois casos da variante ômicron no Brasil

Informação foi confirmada pela assessoria de comunicação do Albert Einstein, em nota divulgada no fim da tarde desta terça-feira (30)

AFP Cinthya Leite
Cadastrado por
AFP
Cinthya Leite
Publicado em 30/11/2021 às 17:47 | Atualizado em 30/11/2021 às 21:15
PIXABAY
Brasileiro tem 1º caso de varíola dos macacos confirmado - FOTO: PIXABAY
Leitura:

Atualizada às 21h07

O Instituto Adolfo Lutz confirmou nesta terça-feira (30) os primeiros casos da variante ômicron do coronavírus no Brasil. Os pacientes são dois brasileiros, um homem de 41 anos e uma mulher de 37, que vieram da África do Sul. Ainda não foi informado se eles tinham tomado vacinas anticovid.

"A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo confirmou nesta terça-feira (30) os dois primeiros casos importados da nova variante ômicron do novo coronavírus (SARS-CoV-2) no Brasil", informou o governo paulista. 

Antes do comunicado do governo do estado, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tinha anunciado os dois casos como positivos "preliminares".

"A confirmação foi feita após sequenciamento genético no laboratório do Hospital Israelita Albert Einstein (...) e atestada pelo Instituto Adolfo Lutz do Governo de SP", acrescentou a Secretaria de Saúde de São Paulo.

O casal desembarcou no Brasil em 23 de novembro e fez novo teste porque voltaria a embarcar no dia 25. Com o resultado positivo para covid-19, foi feita notificação ao Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) de São Paulo. A Anvisa também oficiou o Ministério da Saúde e as secretarias de Saúde estadual e municipal de São Paulo sobre os casos, para adoção das medidas de saúde pública.

O homem e a mulher estão em isolamento domiciliar e monitoramento, assim como seus familiares. No momento do teste, eles apresentavam sintomas leves.

As autoridades sanitárias do estado mais populoso do país informaram ainda que está em análise um caso suspeito reportado no domingo de um passageiro procedente da Etiópia e que visitou a África do Sul.

O governo de São Paulo anunciou na semana passada o fim da obrigatoriedade do uso de máscaras em espaços abertos a partir de 11 de dezembro.

Mas após a confirmação da presença da nova variante do coronavírus no estado, o governador João Doria solicitou ao Comitê Científico uma nova avaliação sobre a flexibilização.

Atuais vacinas são eficazes contra variante ômicron?

A agência ressalta que a entrada do passageiro no Brasil ocorreu no dia 23 de novembro, antes da notificação mundial sobre a identificação da nova variante, que foi relatada pela primeira vez à Organização Mundial da Saúde (OMS), pela África do Sul, no dia 24 de novembro. "A entrada também foi anterior à edição da Portaria Interministerial CC-PR/MS/MJSP/MINFRA 660, de 27 de novembro de 2021, que proibiu, em caráter temporário, voos com destino ao Brasil que tenham origem ou passagem pela República da África do Sul e que também suspendeu, em caráter temporário, a autorização de embarque para o Brasil de viajantes estrangeiros, procedentes ou com passagem, nos últimos 14 dias antes do embarque, por esse país", frisa a Anvisa. 

 

Comentários

Últimas notícias