IMUNIZAÇÃO

Covid-19: primeira criança vacinada no Brasil é um indígena de oito anos

Davi Seremramiwe Xavante é natural de Mato Grosso, mas vive em São Paulo por conta de um tratamento que faz para uma doença genética

JC
JC
Publicado em 14/01/2022 às 12:38
Reprodução/ TV Cultura
Indígena de oito anos é a primeira criança vacinada contra a covid-19 no Brasil - FOTO: Reprodução/ TV Cultura
Leitura:

A primeira criança brasileira vacinada contra a covid-19 é um indígena, de oito anos, morador do Estado de São Paulo. O menino recebeu a dose da Pfizer, que vem sendo distribuídas desde essa quinta-feira (13), pelo Ministério da Saúde aos municípios, após relutância do presidente Jair Bolsonaro (PL). 

Davi Seremramiwe Xavante é natural de Mato Grosso, mas vive em São Paulo por conta de um tratamento que faz por conta de uma doença genética. 

A primeira remessa de doses pediátricas da Pfizer chegou ao País às 4h45 da quinta-feira (13). As primeiras vacinas contra covid-19 destinadas a crianças de 5 a 11 anos garantem 1,2 milhão de doses do imunizante.

A previsão é que o Brasil receba em janeiro um total de 4,3 milhões de doses da vacina. A remessa é a primeira de três que serão enviadas ao País.

Segundo o Ministério da Saúde, durante o primeiro trimestre devem chegar ao Brasil quase 20 milhões de doses pediátricas, destinadas ao público-alvo de 20,5 milhões de crianças. Em fevereiro, a previsão é que sejam entregues mais 7,2 milhões, e em março, 8,4 milhões.

PERNAMBUCO

Em Pernambuco, as vacinas chegaram no fim da manhã desta sexta-feira (14). Ao todo, o primeiro lote é de 60 mil doses, que será distribuídas entre os municípios. 

No caso da imunização do público infantil, a orientação é que sejam criadas alternativas distintas dos adultos, pois embora o imunizante seja do mesmo fabricante, sua apresentação, dosagem e composição são diferentes do imunizante utilizado para maiores de 12 anos. Além da formulação pediátrica ser diferente dos adultos, o intervalo de duas doses para completar o esquema vacinal será de dois meses. 

Comentários

Últimas notícias