PANDEMIA

Nova subvariante da covid-19 está circulando em Pernambuco, confirma a SES

A confirmação foi dada nesta quarta-feira (22), após a divulgação de um novo sequenciamento genético

Raphael Guerra
Cadastrado por
Raphael Guerra
Publicado em 22/06/2022 às 18:04 | Atualizado em 22/06/2022 às 23:13
Itamar Crispim/Fiocruz
ANÁLISE Descoberta da subvariante no Estado foi possível a partir do sequenciamento genético feito pelo Instituto Aggeu Magalhães - FOTO: Itamar Crispim/Fiocruz
Leitura:

Um nova subvariante da ômicron está circulando em Pernambuco. A confirmação foi dada nesta quarta-feira (22), após a divulgação de um novo sequenciamento genético feito pelo Instituto Aggeu Magalhães (IAM/Fiocruz PE) em parceria com a Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE).

Nesta rodada, 146 amostras positivas para a covid-19, coletadas entre janeiro e junho, foram processadas. Destas, nove foram identificadas como da BA.5 da ômicron.

Os genomas foram de coletas realizadas entre 26 de maio e 1º de junho em pacientes residentes dos municípios de Macaparana (1), Recife (7) e São Bento do Una (1), sendo 7 mulheres e 2 homens com idades entre 15 e 85 anos. Apenas dois deles estavam com o esquema vacinal completo.

Um paciente havia tomado apenas uma dose da vacina contra a covid-19 e os demais estavam com doses de reforço em atraso. Seis foram assintomáticos e outros três apresentaram sintomas.

Os demais genomas processados também foram da linhagem ômicron, com coletas realizadas entre janeiro e junho, em pacientes residentes dos municípios de Barra de Guabiraba (1), Camaragibe (2), Caruaru (1), Garanhuns (3), Jaboatão dos Guararapes (7), Olinda (6), Paulista (2), Recife (104), Salgueiro (7), Vitória de Santo Antão (1), além do arquipélago de Fernando de Noronha (3).

Na semana passada, Pernambuco já havia confirmado a circulação da subvariante BA.4 da ômicron no Estado. Neste novo sequenciamento, 38 amostras foram identificadas como da sublinhagem BA.4.

INTERNAÇÕES

Boletim divulgado pela SES-PE, nesta quarta-feira, mostrou que 81% dos leitos públicos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) de Pernambuco destinados a pacientes com sintomas da covid-19 estão ocupados - ou seja, 538 de um total de 665. Isso mostra que, após ser observada a alta de casos leves, a rede hospitalar pública também volta a ser pressionada pela doença. Na rede privada, ocupação dos leitos de UTI para Síndrome Respiratória Aguda Grave (srag) é de 59%.

Há uma semana, no dia 15 de junho, a taxa de ocupação nas UTIs privadas por sintomas respiratórios era de 74% para o total de 665 leitos. Há 15 dias, 72% dos 673 leitos estaduais estavam ocupados.

Também foi apresentada uma alta nos casos de srag. Em 15 dias, as notificações por srag aumentaram 56,3%, saindo de 323 casos para 505 casos. Em sete dias, o aumento foi de 32,5%, saindo de 381 casos para 505 casos.

A srag pode ser provocada ou não pelo novo coronavírus. Mesmo assim, o aumento também foi expressivo em relação aos casos que tiveram, comprovadamente, a doença como causa: saiu de 16 casos para 43 casos em 15 dias, representando uma alta de 168,7%. Já em 7 dias, o aumento foi de 79,1%, saindo de 24 casos para 43 casos.

As análises acima levam em consideração dados divulgados pela SES-PE que trazem comparativos entre as semanas epidemiológicas 22 (29 de maio a 4 de junho), 23 (5 de junho a 11 de junho) e 24 (12 de junho a 18 de junho).

Comentários

Últimas notícias