Luel vence Slater e está nas quartas de final em Haleiwa

Alexandre Gondim
Alexandre Gondim
Publicado em 22/11/2019 às 16:11
Leitura:
[caption id="attachment_4779" align="alignnone" width="748"]"" Luel Felipe. Foto:Tony Heff/WSL[/caption]O pernambucano Luel Felipe e o catarinense Alejo Muniz foram os únicos brasileiros que se classificaram nas grandes ondas da quinta-feira, 22/11, e vão competir juntos no último dia do QS 10000 Hawaiian Pro.Luel e Alejo passaram por "morras" de 12-15 pés em Haleiwa Beach considerado o melhor dos últimos 10 anos no local e seguem na batalha pela primeira joia da Tríplice Coroa Havaiana.Agora vão se enfrentar na terceira quarta de final do QS 10000 Hawaiian Pro. Seus adversários serão o taitiano Michel Bourez e o sul-africano Matthew McGillivrary, que está a um passo de entrar na lista dos dez classificados pelo WSL Qualifying Series, para a elite que disputa o World Surf League Championship Tour.[caption id="attachment_4774" align="alignnone" width="748"]"" Luel Felipe. Foto:Tony Heff/WSL[/caption]Este é um momento que vou guardar para sempre, disse Luel Felipe, depois de derrotar Kelly Slater no mar épico de Haleiwa na quinta-feira. Um dia vou me aposentar, mas vou lembrar desse dia pelo resto da minha vida, certamente. Estou muito feliz por essa oportunidade. Para mim, a melhor parte da bateria foi ver meu pai, que estava realmente empolgado. Foi muito bom abraçar ele e dar um beijo depois que eu sai do mar, muito emocionante para mim. O Pai de Luel, Nem Batatinha é um dos primeiros surfistas de Maracaípe em Pernambuco.Luel Felipe também tem chance de entrar no G-10 se vencer esta primeira etapa da tríplice Coroa Havaina. Na quinta-feira, o pernambucano derrotou todos que passaram na sua frente até a fera Kelly Slater, na disputa por vagas nas quartas de final.[caption id="attachment_4777" align="alignnone" width="748"]"" Kelly Slater. Foto: Keoki Saguibo/WSL[/caption]Foi uma das baterias mais disputadas do dia e Luel conseguiu uma boa sintonia com as séries, para sempre escolher uma onda boa na sua vez de surfar. Manteve a liderança com 5,83 na segunda e sacramentou a vitória surfando muito forte em duas seguidas, que arrancaram 8,10 e 6,73 dos juízes. Slater correu atrás, conseguiu um 7,0 e garantiu a classificação na última que pegou e valeu 6,93. Com ela, superou Jacob Willcox por 13,93 a 13,50 e Caio Ibelli ficou em quarto com 11,70. Mas, deu Brasil, com Luel Felipe vencendo por 14,83 pontos. O pernambucano já subiu da 33º para a 21º posição no ranking final do WCT.
""
""
""

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias