Silvana Lima conquista vaga olímpica mas esta fora do CT 2020

Alexandre Gondim
Alexandre Gondim
Publicado em 02/12/2019 às 10:58
Leitura:
[caption id="attachment_4818" align="alignnone" width="748"]"" Silvana Lima. Foto: Kelly Cestari/WSL[/caption]A cearense perdeu para Stephanie Gilmore no último duelo das oitavas de final neste domingo, 2/12, e está fora do CT 2020, mas sua vaga nas Olimpíadas do Japão já estava garantida com a derrota da neozelandesa Paige Hareb.A cearense irá participar da estreia do surfe nos Jogos Olímpicos de Tokyo 2020, junto com a gaúcha Tatiana Weston-Webb. A sua vaga pelo ranking da World Surf League, foi confirmada quando a Paige perdeu nas oitavas de final do lululemon Maui Pro.[caption id="attachment_350" align="alignnone" width="748"]"" Tatiana Weston-Webb. Foto: WSL[/caption]O início da última etapa do World Surf League Championship Tour, vinha sendo adiado desde segunda-feira passada, mas começou com altas ondas no domingo em Honolua Bay, em condições desafiadoras para as meninas.Silvana acabou eliminada na última bateria do dia, pela heptacampeã mundial Stephanie Gilmore e não conseguiu garantir sua permanência na elite para o CT 2020.[caption id="attachment_3951" align="alignnone" width="748"]"" Silvana Lima. Foto: Matt Dunbar/WSL.[/caption]O sonho se tornou realidade, então vamos com tudo Brasil, vibrou Silvana Lima. Isso é realmente especial para mim e confesso que nunca imaginei que isso fosse acontecer, de poder representar meu país numa Olimpíada e surfando, que é o meu esporte. Eu sempre pensava em um dia disputar os Jogos Olímpicos e, agora, esse sonho se tornou realidade. Estou muito feliz em poder ter a chance de fazer isso pelo meu país, pela minha família, meus patrocinadores. Eu estarei lá no Japão, Tokyo 2020.[caption id="attachment_4815" align="alignnone" width="748"]"" Tyler Wright . Foto: Kelly Cestari/WSL[/caption]A cearense tinha passado por um duro teste em sua primeira atuação nas grandes ondas do de Mauí, Havaí. Ela entrou no segundo confronto do dia, com a vice-líder do ranking, Lakey Peterson, e a bicampeã mundial Tyler Wright, que ficou a temporada toda se recuperando de uma virose e participava da sua primeira competição no ano. Silvana superou Tyler Wright por 10,40 a 9,64, na briga pela segunda vaga direta para as oitavas de final.A gaúcha Tatiana Weston-Webb fechou a primeira fase, também se classificando em segundo lugar na bateria que a australiana Bronte Macaulay fez o maior placar do dia até ali, 15,67 pontos.[caption id="attachment_4816" align="alignnone" width="748"]"" Carissa Moore . Foto: Kelly Cestari/WSL via Getty Images)[/caption]Silvana estava em 12º lugar e tinha chance de entrar na lista, mas precisava chegar nas quartas de final, ou seja, passar por Stephanie Gilmore. Só que a australiana pegou as melhores ondas que entraram na bateria, enquanto a cearense não conseguiu surfar quase nada. Ela só foi em três ondas e não completou nenhuma, então a heptacampeã mundial ganhou fácil o duelo das surfistas mais experientes da elite, por 10,50 a 4,23 pontos.O lululemon Maui Pro também define o título mundial da temporada. Veja como sera esta disputa aqui no BLOG DO SURFE !!!Vaja a bateria de Silvana e Stephanie:

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias