Will Holt (1929/2015), "autor" americano de Meu limão, meu limoeiro

Publicado em 05/06/2015 às 18:47
Leitura:
Will Holt, autor de Lemon tree Will Holt, autor de Lemon tree O New York Times noticia hoje a morte do compositor Will Holt, autor de vários musicais de sucesso na Broadway, porém mais conhecido pela música folk Lemon tree, que ele próprio gravou, em 1950, em dueto com a cantora Dolly Jonah. Em 1963, a canção foi sucesso internacional com o trio folk Peter, Paul and Mary. "O limoeiro é bonitinho/a flores do limão são docinhas/porém, é impossível/ comer sua frutinha" (tradução livre dos versos "Lemon tree, very pretty/and the lemon flowers sweet/but the fuits of the poor lemon/it's impossible to eat"). Segundo o  jornal Lemon tree é uma adaptação de uma canção tradicional brasileira. Como tudo que se refere a folclore brasileiro, a canção seria do folclore baiano. Porém Lemon tree não é adaptação, e sim um plágio de Holt de uma composição do recifense José Carlos Queiroz Burle (1910/1983), que fez a música nos anos 3o, este sim, adaptando-a do folclore, com o nome de Meu limão, meu limoeiro. Em 1937, a canção teve suas duas primeiras gravações, por Silvio Caldas e Gidinho, e outra por Jorge Fernandes. Burle foi também cineasta e um dos fundadores do estudio cinematográfico Atlântida. Em agosto do mesmo ano de 1937,  a música de Burle estava no programa que o Orfeão da Brigada Militar do Estado apresentou no Teatro de Santa Isabel, entre Pra frente, oh Brasil, marcha patriótica de Villas-Lobo, e Onde o sol descamba, maracatu de Capiba e Ascenso Ferreira. No citado programa, Meu limão, meu limoeiro é apresentado como um "samba sertanejo". Nos anos seguintes, ela seria incorporada ao repertório de cantoras folk brasileiras, como Inezita Barroso, Stelinha Egg ou Vanja Orico, que a canta em Mulheres e Luzes (1950) o primeiro filme de Fellini, Depois de virar hit mundo afora com Peter, Paul & Mary (teve versões na Dinamarca, Finlandia, Holanda), a música voltou a fazer sucesso no Brasil, em 1966, com Wilson Simonal, em levada de pilantragem. Desta feita quem assumiu a paternidade de Meu limão, meu limoeiro foi o vivaldino Carlos Imperial, que fez a a música, pela primeira vez, virar sucesso nacional. Mas enfim, seja do folclore, do pernambucano José Carlos Burle, quem ganhou, e muito, com este limão e este limoeiro foi o americano Will Holt, inclusive com as muitas versões feitas pelo mundo, em consequência da gravação de Peter, Paul & Mary. Confiram Lemon tree, com Peter, Paul & Mary, e Meu limão meu limoeiro, com Silvio Caldas e Gidinho:
   

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias