Roupa Nova volta ao tempo dos Famks

Publicado em 12/06/2016 às 8:18
Leitura:
roupa nova red 2 O Roupa Nova é um destes mistérios óbvios da música brasileira. Uma banda sem rosto, que sobreviveu a quase todos os seus contemporâneos do pop rock de baixos teores, e maioria dos seus hits vem de regravações de sucessos de terceiros, mas não é considerada uma banda de covers pela sua enorme legião de fãs, nem pelos próprios colegas de profissão. O RN circula pelos nichos mais diferentes, e são admirados como músicos de habilidades que vão além do profissionalismo e competência, Milton Nascimento e Ed Motta estão entre os fãs do Roupa Nova, o grupo que mais emplacou em trilha de novela global, o que reforça ainda mais sua duradoura popularidade. O grupo está comemorando 35 anos de carreira, com o disco Todo o Amor do Mundo,(Winer Disk), mas deveria acrescentar mais 24 velinhas ao bolo. A banda surgiu em 1967 como Os Famks, formada por integrantes de sobrenome Cataldo. Sua genealogia passa, entre outros, conjuntos pelo Renato e Seus Blue Caps, Os Beatos, mais tarde pelo A Bolha. Com The Fevers e o Blue Caps foi uma das bandas mais requisitadas nos bailes de fins dos anos 60 e começo dos anos 70 no Rio. A cultura de baile foi muito forte na primeira metade dos anos 70 no país inteiro. No Rio teve dois nomes fundamentais para o pop brasileiro, os radialistas Big Boy (Newton Duarte), e Ademir, que também contribuíram para o surgimento dos bailes Black na cidade.  No entanto, no começo dos anos 70, parte das bandas optou pelo rock progressivo, feito A Bolha, que animou muito bailhinho Rio afora, e depois partiu para o rock alternativo, outra por continuar a tocar para o pessoal dançar, caso dos Famks (capítulo da MPB muito bem contado no livro Histórias Secretas do Rock Brasileiro, de Nelio Rodrigues). A formação foi mudando até em 1975 se chegou ao núcleo que desaguaria no Roupa Nova que, sintetizando a história, nasceu de um jingle gravado para a Rádio Cidade, que levou o produtor Mariozinho Rocha a convidar o grupo para gravar um álbum, porém mudando o nome. Os Famks viraram Roupa Nova, mas só emplacaram no terceiro álbum, com Chuva de Prata (Ed Wilson), e Whisky A Go-Go (Sullivan e Massadas). Todo Amor do Mundo não apela para os hits do repertório da banda com uma nova roupagem, é um retorno nostálgico à era dos Famks. Em dois CDs o grupo mapeia a trajetória que levou os Famks a Roupa Nova enfatizando versões de sucessos dos 60 e 70 (mas quase sem recorrer aos medalhões da época). Todos de melodias matadoras. Começa com Sem Tempo A Perder, versão de No Time, do Guess Who, passa por Daydream Believer, dos Monkees, ou A Chuva, a Praça, e Outras Coisas, no original The Rain, The Park, and Other Things, dos Cowsills, e até um Roberto Carlos vintage, de poucas regravações, Tempo de Amar, todas as citadas são dos anos 60. Outros admiradores do RN prestam homenagens assinando as versões. Moska fez a versão de No Time, enquanto Humberto Essinger a de Rainbow (1970) do Marmalades (que virou  Rádio Canções).  Milton Guedes (músico requisitado que já tocou no Roupa Nova) fez Você, o Surf e Eu, versão de Surfer Girl, dos Beach Boys, e Nelson Motta assina a versão de What's Goin' On, de Marvin Gaye. Os convidados revelam o amplo colegiado que apoia o Roupa Nova, traz a apresentadora Angélica, Ed Motta (que pela segunda vez participa de um disco do RN), Tico Santa Cruz e Alexandre Pires.  Não acrescentam muito, mas é praxe neste tipo de projeto. Poderiam passar sem Pires, que exagera na sacarina numa canção cuja qualidade é exatamente o sabor amargo, a citada What’s Goin On, Marvin Gaye, reintitulada Medo, Medo. Todo Amor do Mundo é um projeto despretensioso, para um público saudoso dos bailinhos, e que vai para um show do grupo a fim de ouvir a música de sua juventude, ou que se assemelhe ela. Neste nicho o Roupa Nova é mestre. Sem esquecer que comparado à bagaceira que atualmente anima as festas, o repertório deste álbum é quase erudito. Todo Amor do Mundo é um do projeto que engloba ainda um DVD e uma revista ilustrada. Confira o Roupa Nova em Sonhando com os Pés no Chão (Get Ready): https://www.youtube.com/watch?v=NNWDr7KY8Cs

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias