Dia do Abraço

Aquele Abraço foi feita por Gilberto Gil a caminho do exílio

A aparente euforia do samba tem uma história sombria por trás

Publicado em 22/05/2020 às 21:46
Notícia
Divulgação
Gilberto Gil, canção de exílio - FOTO: Divulgação
Leitura:

No Dia do Abraço, pensando-se em música, automaticamente vem à cabeça o samba Aquele Abraço, sucesso de Gilberto Gil em 1969, uma canções que soa pra cima, de confraternização. Mas a canção tem uma história sombria por trás. Foi composta enquanto ele e Caetano Veloso, depois da prisão no Rio, passavam quatro meses de confinamento em Salvador, de onde sairiam do país, indo morar em Londres. Aquele Abraço começou a ser feita enquanto eles acertavam a ida forçada para a Inglaterra.
Pouco antes da viagem, Gil foi ao Rio resolver burocracias para ir embora. No dia em que voltou a Salvador Gil visitou dona Mariah Costa, mãe de Gal Costa, e na casa dela surgiram os primeiros acordes do samba, que terminou no avião, com a letra escrita num guardanapo de papel: “Metalizei a melodia. Tanto que é uma melodia muito simples quase de blues. Como eu não dispunha de instrumento, tive que recorrer a uma estrutura fácil para guardar na memória. Quando cheguei à Bahia, e só peguei o violão e toquei, já estava comprometido afetivamente com a canção”, contou no livro Gilberto Gil Bem Perto, dele e Regina Zappa.
Aquele Abraço é uma música de encontro e de despedida. O titulo veio de um bordão usado pelo humorista Lilico, no programa Balança Mas Não Cai, muito popular na época. O bordão pegou. Os soldados do quartel no Rio, onde os baianos ficaram presos, cumprimentava Gil com um “Aquele abraço”. A música apesar aparentemente de euforia, segundo Gil foi feita como se acontecesse numa quarta-feira de cinzas.
Aquele Abraço é, pois, uma das canções da trilha dos opositores à ditadura militar. Uma nota cômica. O comediante Lilico, talvez incentivado por algum advogado, queria reivindicar direitos pela utilização do bordão. Não deu em nada. O mau tempo passou, e Aquele Abraço continua sendo cantada, e já até se presta para o Dia do Abraço.

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias