Memória

Edmilson do Pífano ia começar uma escolinha de música

O pifeiro morreu de infarto no Centro de Caruaru, onde morava

José Teles
José Teles
Publicado em 09/12/2020 às 15:52
Notícia

Reprodução Facebook
Edmilson do Pífano - FOTO: Reprodução Facebook
Leitura:

Uma vez o músico e produtor Zé da Flauta perguntou a Edmilson do Pífano como é que ele conseguia fazer tantas músicas bonitas. A explicação: “Quando eu viajo de ônibus elas vão passando pela janela”. Simples e poética como as composições de Edmilson, falecido nesse dia 8 de dezembro, de um infarto, no Centro de Caruaru, aos 60 anos. Em 2017, Edmilson do Pífano foi um dos homenageados do São João do Recife, com Cristina Amaral.
Nascido em Lajedo, cidade próxima a Caruaru, Edmilson viveu quase todos os seus 60 na Capital do Agreste, Edmilson vem de uma família de músicos, pifeiros, em sua maioria. Começou a tocar o instrumento aos oito anos. Até o final da década de 90, era pouco conhecido fora de sua região, embora tenha disco gravado em São Paulo |(Edmilson do Pife, selo Chororó). Certo dia, certamente por sugestão de forrozeiros de Caruaru, entre eles Jacinto Silva, veio ao Recife, e à casa de Zé da Flauta, em Casa Forte, dizendo que queria gravar um daqueles disquinhos que se parecem com um espelho. Um CD claro.
“Eu tinha o maior apreço por Edmilson. Quando foi na minha casa, pedi pra ele tocar umas músicas. Quando ele começou a tocar vi que as músicas eram lindas, tinha umas construções melódicas muito bem feitas, parecia até que tinha estudado música. Ele me disse que aprendeu por si próprio”. Zé da Flauta produziu o terceiro disco da carreira de Edmilson, Soprando no Canudinho, um CD que teve uma boa divulgação e incluiu Edmilson no circuito de forró que, naquele ano, estava passando por um de seus melhores momentos.
Pra tocar no disco o produtor convidou alguns dos melhores músicos que atuavam no Recife na época, Duda da Passira, João Lyra, Bozó 7 Cordas, Raminho da Zabumba. A gente fez um disco que é um marco hoje. Um pífano só acompanhado com regional. Ele tanto tocava em bandinha, com a família, quanto no formato com regional. Depois produzido outro disco dele chamado Dedilhando no canudinho.
A morte de Edmilson do Pífano foi uma surpresa na c idade, sobretudo para a família e amigos mais próximos. Zé da Flauta conversou com Edmilson dois dias antes, o músico ligou pra ele o convidando para a inauguração de uma escolinha de pífano que ia abrir em Caruaru. No mesmo dia de sua morte, em sua conta no instagram (@edmilsondopifano), ele fez uma postagem tocando, e oferecendo sua mais recente produção de pífanos, terminada naquele dia.
No Spotfy se pode conferir cinco discos de Edmilson do Pífano: Soprando no Canudinho, Bico de Ouro, Forró no Sítio, Arrasta-Pé nos Palhoções, e Dedilhando o Canudinho.

Comentários

Últimas notícias