SUPERAÇÃO: Criando o hábito de se exercitar com o crossfit

Publicado em 19/08/2018 às 10:50
Danilo Canário de 28 anos se encontrou no crossfit para combater a obesidade. Foto: Diego Nigro/JC Imagem
FOTO: Danilo Canário de 28 anos se encontrou no crossfit para combater a obesidade. Foto: Diego Nigro/JC Imagem
Leitura:
Danilo Canário, de 28 anos, se encontrou no crossfit para combater a obesidade. Foto: Diego Nigro/JC Imagem   “Atividade física é algo chato”. “Tenho preguiça”. “Não tenho tempo”. Essas são apenas algumas das expressões repetidas por quem não consegue abandonar o sedentarismo. Mesmo quando os benefícios de uma vida ativa, nesse sentido, são exaustivamente difundidos. A primeira justificativa esteve, por muitos anos, na vida do advogado Danilo Canário, de 28. Em 2017, após inúmeras tentativas frustradas de frequentar academias de ginástica, ele viu o ponteiro da balança atingir 154 kg. Enfrentando o nível mais grave de obesidade, com índice de massa corporal de 48,6 kg/m2, decidiu fazer uma nova tentativa. Deu crédito ao crossfit. Um ano depois, celebra o fato de estar praticando a modalidade de forma contínua. “Quando eu tive idade para procurar, começou a minha busca pela academia ideal. Nunca passei mais de um mês. Cheguei ao ponto de me matricular em mais de uma ao mesmo tempo. Perto do trabalho e perto de casa, que era onde os meus amigos estavam. Tudo para ver se dava um estímulo. Os treinos caíam muito na mesmice. Não sentia incentivo, aquele prazer de frequentar o ambiente também. As vezes, eu deixava o plano ativo, ficava debitando da conta, mas nunca frequentava. E isso não mudava, independente do estabelecimento que eu ia ou quem fosse comigo”, relembrou Danilo.
Nessa época, Danilo tinha entre 17 e 18 anos e já estava muito acima do peso. Mas os valores da balança nem sempre foram um problema para o advogado. Ele só passou a engordar aos 12 anos, depois que os problemas alérgicos se acentuaram. Com as crises e constantes internações, vieram os tratamentos com corticoides. “Nesses tratamentos, a minha alimentação mudou para pior. A vontade de comer aumentou e eu sempre buscava besteiras: doces, frituras e gorduras. Nunca tive um controle muito grande com relação à família e, por conta disso, passei a engordar constantemente. A minha procura por emagrecer sempre foi depois que eu já tinha engordado muito. Quando cheguei no momento em que eu já estava realmente muito obeso, numa faixa que não tinha mais volta só com a alimentação, passei a procurar uma atividade física”, contou. As inúmeras tentativas de se adequar aos locais frequentados pela maioria das pessoas levaram o advogado a desistir dos exercícios por um período. Mesmo muito pesado, ficou totalmente sedentário dos 25 aos 27 anos. Naquele momento, a saúde estava como a de boa parte dos obesos. Todas as taxas alteradas, com hipertensão arterial e próximo a desenvolver diabetes. Danilo apresentava ainda dores nas articulações, cansaço excessivo e muita indisposição. “Como eu trabalho próximo a Vikings vi a oportunidade. É perto do meu trabalho e no caminho da minha casa. Todos os dias, eu passo na frente, não tem desculpa. Foi quando eu resolvi testar. Estou aqui desde que inaugurou, no primeiro dia, vai fazer um ano que eu venho mantendo a regularidade. Entrei em projetos de nutrição, por causa do crossfit. Hoje eu faço coisas que antes não fazia. Sempre que um amigo chama, eu digo: ‘bora!’. Eu realmente me encontrei na modalidade”, afirmou.

META

Um ano depois de aderir ao crossfit, Danilo conseguiu perder 15 kg. Confessa que a marca poderia ter sido maior. Mas não tem pressa. Confia no hábito de se exercitar já criado com a modalidade. A meta imediata é eliminar o remédio para controlar a hipertensão. E o objetivo final, a restauração plena da saúde.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias