Diabetes tipo 2 deve triplicar mundialmente nos próximos 17 anos

Luana Ponsoni
Luana Ponsoni
Publicado em 29/05/2019 às 14:55
Leitura:
[caption id="attachment_3506" align="alignnone" width="748"]"" O diabetes tipo 2 se desenvolve com base na influência hereditária e de maus hábitos de saúde. Foto: Divulgação[/caption]O médico e pesquisador austríaco Karl Miller fez uma constatação alarmante no 1º Encontro de Líderes em Cirurgia Bariátrica, realizado em São Paulo, no final de março. Segundo o especialista, o diabetes tipo 2 deve triplicar mundialmente nos próximos 17 anos. Hoje, o número de diabéticos chega a 16 milhões apenas no Brasil, sendo o Rio de Janeiro o estado com a maior prevalência de diagnóstico da doença.O diabetes tipo 2 se desenvolve com base na influência hereditária e de maus hábitos de saúde, como o sedentarismo e a constante ingestão de alimentos ricos em gordura, açúcar e sódio. Apesar de ser mais comum com o passar da idade, ele também pode se desenvolver em crianças e jovens, principalmente aqueles que estão com sobrepeso ou obesos. Segundo a dra. Amália Soares, endocrinologista do Hospital São Lucas Copacabana, nessa variação da doença o organismo torna-se resistente à ação da insulina produzida pelo pâncreas, o que desnivela a quantidade de glicose no sangue.O nível de glicose considerado normal no sangue é de até 99 mg/dL, acima disso já deve ser considerado um alerta para o paciente. O diagnóstico do diabetes tipo 2 costuma acontecer quando esse nível atinge 126 mg/dL, porém, ele deve ser confirmado por um médico especialista por meio de exames específicos e detalhados, afirma a médica.[caption id="attachment_2987" align="alignnone" width="748"]"" Excesso de treino pode levar, inclusive, à hipertensão arterial. Foto: Divulgação[/caption]O diabetes tipo 2 é considerado a principal causa de cegueira em adultos e de amputação não traumática de membros inferiores, como pernas, pés e dedos. Ele também influencia o desenvolvimento da doença arterial coronariana (DCV) e episódios de infarto agudo do miocárdio.Os sintomas dessa doença nem sempre são expressivos, o que diminui as chances do diagnóstico precoce, porém, os mais frequentes são urina em excesso e constante vontade de beber água. Na maioria dos casos, o diabetes tipo 2 é diagnosticado em exames de rotina, pelos níveis altos de glicose.A prevenção é a melhor forma de combater o diabetes tipo 2 sobretudo, pela adoção de bons hábitos alimentares e pela prática de atividades físicas no dia a dia. Priorizar itens ricos em vitaminas e minerais e se exercitar ao menos três vezes na semana já diminui o risco de incidência da doença, explica a dra. Amália. Evitar alimentos gordurosos e açucarados, parar de fumar e diminuir a bebida alcoólica também ajuda a prevenir o diagnóstico.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Últimas notícias