Prevenção

Coronavírus: entenda como a vitamina D3 atua na prevenção da covid-19

Pesquisadores da Universidade de Turim, na Itália, investigaram papel da vitamina D3 ante a doença

Luana Ponsoni
Luana Ponsoni
Publicado em 31/03/2020 às 11:29
Notícia

 JUKKA NIITTYMAA/PIXABAY
A vitamina D3 reduz risco de infecções respiratórias de origem viral e neutraliza danos pulmonares - FOTO: JUKKA NIITTYMAA/PIXABAY
Leitura:

Pesquisadores da Universidade de Turim, na Itália, divulgaram, na última semana, estudo apontando a vitamina D como importante na modulação do sistema imunológico e forte aliada no combate ao novo coronavírus. De acordo com o nutrólogo e especialista em medicina preventiva, Dr. Humberto Arruda, mais de 95% das pessoas têm deficiência de vitamina D3, a mais benéfica às defesas do organismo, sendo interessante a suplementação principalmente de forma injetável.

>>Conheça a calistenia: método de treino que promove ganho de massa muscular com o peso corporal

>>Coronavírus: entenda como o sono reforça o sistema imunológico

>>Coronavírus:alimentos que ajudam a melhorar a imunidade

>>Treino 4 para fazer na escada do seu prédio

>>Campeonato de CrossFit em casa para movimentar o corpo e ajudar hospitais do Recife e Petrolina

"A nomenclatura de vitamina D3 é errada, por que? Porque vitamina é tudo aquilo que o organismo precisa e a gente não produz. Mas a vitamina D3 nós produzimos, só dependemos do sol para promover toda essa cadeia de produção. A humanidade, no geral, tem uma deficiência de vitamina D3. Mais de 95% das pessoas têm deficiência. É uma das vitaminas que mais a gente teria que suplementar porque vai evitar uma série de doenças. Nesse tempo todo meu de consultório, só teve um paciente que estava com o patamar ideal de vitamina D3, que foi um motoboy, que se expuha muito ao sol. Fora isso, até hoje, eu não peguei um paciente com patamar ideal", contou Dr. Humberto Arruda.

Os primeiros dados preliminares coletados pela pesquisa com a vitamina D em Turim indicam que muitos pacientes hospitalizados por covid-19 apresentaram falta no organismo, sobretudo os idosos mais frágeis. No estudo, os autores sugeriram garantir níveis adequados na população.

“A maior produção de vitamina D3 se dá entre 20 e 70 anos. A partir dos 70 anos, a nossa produção de vitamima D3 diminui em aproximadamente quatro vezes, porque começamos a ter uma deficiência de uma enzima 1--hidroxilase nos rins, que ocorre a formação da vitamina D3. Isso explica o fato de que muitos idosos que contraíram a doença na Itália apresentavam deficiência da vitamina”, explicou Dr. Humberto Arruda.

CLÁUDIO MELLO/DIVULGAÇÃO
Dr. Humberto Arruda chama atenção para o número de pessoas com deficiência de vitamina D3 - CLÁUDIO MELLO/DIVULGAÇÃO

PROPRIEDADES

De acordo com o especialista, o micronutriente atua na redução do risco de infecções respiratórias de origem viral e tem a capacidade de neutralizar os danos pulmonares. “O ideal é manter a Vitamina D3 num patamar entre 80 e 100 nanogramas. Seria fantástico para a nossa saúde e, desta forma, iríamos prevenir inúmeras doenças. É importante melhorar as doses de vitamina D3, de preferência por via injetável, sob supervisão médica”, completou o especialista.

CLÁUDIO MELLO/DIVULGAÇÃO
Dr. Humberto Arruda chama atenção para o número de pessoas com deficiência de vitamina D3 - FOTO:CLÁUDIO MELLO/DIVULGAÇÃO

Comentários

Últimas notícias