Reflexão

Tiago Iorc: 'Me sinto masculino em algumas coisas e feminino em outras'

Cantor e compositor fala de período sabático e masculinidade em entrevista

Robson Gomes
Robson Gomes
Publicado em 03/04/2020 às 22:32
Notícia
GQ BRASIL/DIVULGAÇÃO
O cantor e compositor brasiliense Tiago Iorc tem 34 anos. - FOTO: GQ BRASIL/DIVULGAÇÃO
Leitura:

A nova edição da Revista GQ Brasil foi lançada nesta sexta-feira (3) trazendo na capa o cantor e compositor Tiago Iorc. O músico brasiliense de 34 anos falou à publicação sobre seu período sabático do cantor, como encara a masculinidade, entre outras questões.

>> Grammy Latino 2020: Anitta e Tiago Iorc estão entre os indicados

>> MTV anuncia data de lançamento do 'Acústico Tiago Iorc'

>> Prior sobre machismo no BBB20: 'Estamos aprendendo a não ser e me propus a aprender'

Na entrevista, Tiago fez reflexões sobre os novos tempos de sua carreira artística, em que ele lançou recentemente o álbum Acústico MTV: "Vivia de shows e entrevistas. Vejo fotos do meu momento pré-pausa e, visivelmente, estava muito cansado. No início, encaixotei tudo, inclusive o violão. Me aposentei por um tempo para me sentir estimulado novamente. Quando se estimula muito algo, tende a insensibilizar aquele ponto. Vai ficar desgostoso, desinteressante. O prazer de fazer algo com carinho é o que mais me inspira".

Sobre o que aprendeu durante seu período sabático, Tiago Iorc declarou: "Hoje a sensação é a de que não sei mais fazer música. Sei que tenho essa habilidade e que vou conseguir se me dedicar. Acho que meus medos estão muito relacionados em conseguir ser o que eu espero ser".

E a respeito da masculinidade, tão discutida nos dias de hoje, o músico deu o seu posicionamento. "A masculinidade é uma presença energética que determina algumas características, que é mais funcional, pragmática, de linhas retas. E, da mesma forma, a feminilidade, que é mais sutil, artística, poética, a beleza do mundo. Eu me sinto masculino em algumas coisas e feminino em outras, como a minha manifestação artística que é muito sutil. A gente é o equilíbrio dessas forças o tempo inteiro e isso diz pouco respeito à sexualidade", concluiu o artista.

VEJA O CLIPE DE 'TANGERINA':

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias