LUTO

Morre, aos 82 anos, o fotógrafo nova-iorquino Peter Beard

Ele ficou mundialmente conhecido por retratar imagens da selva africana

Agência Estado
Agência Estado
Publicado em 20/04/2020 às 17:32
Notícia
Reprodução
Peter Beard na juventude - FOTO: Reprodução
Leitura:

O fotógrafo nova-iorquino Peter Beard teve sua morte confirmada neste domingo (19). Ele estava desaparecido desde o último dia 31 de março, no East End de Long Island, em Nova York, onde morava com a sua mulher, Nejma Beard.

Seu corpo foi encontrado pela polícia em um parque estadual, após dias de buscas intensas, dificultadas pela densa vegetação da região. Aos 82 anos, Beard sofria de demência e das consequências de ao menos um AVC, segundo informações do The New York Times.

O fotógrafo iniciou sua trajetória no mundo da moda, clicando para revistas como a Vogue. Depois, dedicou sua carreira a registrar o meio-ambiente, sobretudo, em imagens emblemáticas da selva africana, o que lhe rendeu a fama de "o último dos aventureiros".

Parte dessas fotografias foi publicada no seu famoso livro The End of the Game, de 1965, em que ele documentou a riqueza da fauna do Quênia, assim como as ameaças sofridas pelos animais da região. Seus trabalhos foram exibidos em exposições sediadas em centros internacionais de fotografia, em cidades como Nova York e Paris.

Herdeiro de uma grande fortuna, Beard frequentava meios agitados da vida social nova-iorquina, como o famoso Studio 54, de Andy Warhol, de quem era amigo. Nomes como Truman Capote e Francis Bacon também faziam parte de suas relações.

Pela conta oficial do fotógrafo no Instagram, a família compartilhou um comunicado, no qual confirma sua morte e agradece os esforços da polícia e as mensagens de apoio dos fãs. A nota também relembra como era a personalidade de Beard:

"Ele era um explorador corajoso, sempre generoso, carismático e perspicaz. Peter definiu o que significa ser aberto: aberto a novas ideias, novos encontros, novas pessoas, novos jeitos de viver e de ser. Sempre insaciavelmente curioso, ele perseguia suas paixões sem restrições e captava a realidade através de uma lente única".

O jornalismo profissional precisa do seu suporte. Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias