Ciranda

Mestre Santino Cirandeiro será tema de documentário

Nas redes sociais do Som na Rural, o filme 'Quem Não Conhece Santino...Encontro de Gerações' poderá ser visto online e gratuito pelo público interessado

João Rêgo
João Rêgo
Publicado em 28/05/2020 às 17:49
Notícia
Terno da Mata/Divulgação
Aos 79 anos, o mestre Santino Cirandeiro faz parte de uma geração de nomes como João Limoeiro e Zé Galdino - FOTO: Terno da Mata/Divulgação
Leitura:

Quem não conhece o mestre Santino Cirandeiro? Nesta sexta-feira (29), o cineasta Nilton Pereira encerra a pergunta com um documentário que mergulha nos processos musicais do artista.

Através das redes sociais do Som na Rural (@somnarural), o filme Quem Não Conhece Santino...Encontro de Gerações poderá ser visto online e gratuito pelo público interessado em uma das principais figuras da cultura pernambucana.

Leia também: Lia de Itamaracá ganha biografia publicada pela CEPE

Leia também: Lia de Itamaracá se recusa a se apresentar nos palcos do Governo no Carnaval 2020

Aos 79 anos, morando em Nazaré da Mata, Santino faz parte de uma geração de nomes como João Limoeiro e Zé Galdino. São 63 anos dedicados a Ciranda, desde as brincadeiras quando criança até a decisão de se dedicar ao canto.

Santino, inclusive, é o mestre mais antigo em atividade quando se trata de ciranda.

No currículo, além de apresentações fora do país, já tem três trabalhos gravados. Esse foi o ponto de partida para a produtora Terno da Mata e o diretor Nilton Pereira decidirem registrar no audiovisual o processo de feitura do seu novo CD (previsto para ser lançado assim que a pandemia acabar).

Mas não se engane, o documentário não está atrelado exclusivamente a ser um making of da gravação do projeto. Com o currículo e expressividade de uma figura como Santino, o filme ganhou contornos muito maiores.

Histórias cantadas e costuradas nas suas cirandas, o vozeirão, suas lembranças de Macaparana, terra natal que deixou quando jovem ou os anos de trabalho no engenho e na construção civil. Tudo está atrelado a musicalidade e personalidade de Santino, documentada por Nilton.

Para dar cabo imagético a isso, o cineasta capturou belíssimas cenas dos bastidores da gravação do CD, além de imagens da região Norte de Pernambuco. Seus contos e causos dividem a tela com histórias de origens de algumas das suas letras cantadas nas cirandas.

No documentário há, ainda, a participação de Mestre Bi, da Ciranda Bela Rosa, e Mestre Anderson Miguel, da Raiz da Mata Norte, dois nomes da nova da geração, que trazem depoimentos e trechos de suas contribuições musicais para o novo álbum.

"Na verdade, trata-se de uma reunião de talentos. E isso não é, nem nunca foi, exclusividade de alguma geração. Faz parte de todas e cada uma oferece suas belezas. Se ciranda é arte de mãos dadas, encontros e de união, em Pernambuco, está mais do que provado que realmente é. Pode conferir mais essa beleza do audiovisual do estado", revela o responsável pelo projeto, o produtor Sérgio Melo, da Terno da Mata.

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias