São João NE10

Forró do bom na Rádio Jornal: Cristina Amaral e Dudu do Acordeon participam de live da emissora

Apresentação neste sábado (27/06) fecha programação de São João do Sistema Jornal do Commercio de Comunicação

JC
JC
Publicado em 26/06/2020 às 8:00
Notícia
Divulgação
Cristina Amaral prepara setlist com novidades e clássicos do forró. - FOTO: Divulgação
Leitura:

Este ano, o São João foi dentro de casa. Com o calendário e as comemorações afetados pela Covid-19, se reinventar foi a saída. Para manter a alegria da festa, a internet se tornou uma aliada dos artistas, que passaram a compartilhar, por meio digital, lives e shows que ajudam a manter viva a tradição dos festejos. Dentro desse clima, a Rádio Jornal promove uma live junina amanhã, com Cristina Amaral e Dudu do Acordeon, a partir das 14h, nas redes sociais da emissora - Facebook e Instagram - e no YouTube.

A live, às vésperas do Dia de São Pedro (29), é a chave de ouro da programação de São João do Sistema Jornal do Commercio, projeto realizado com muita qualidade e muita música, como conta o gerente comercial, Lino Medeiros. "Ao longo de todo o mês de junho, fizemos uma programação completa, não só para divertir quem estava em casa, como também para informar sobre as notícias relacionadas ao São João. Com certeza está sendo uma comemoração diferente, mas não poderíamos deixar de levar o melhor ao nosso público. Essa mistura de informação de credibilidade e entretenimento responsável são a base sólida do nosso trabalho e uma plataforma importante para o desenvolvimento de projetos com nossos parceiros comerciais", registra.

As mudanças provocadas pela Covid-19 mexeram com todos, atingindo especialmente artistas como Dudu do Acordeon e Cristina Amaral, conhecidos pelas apresentações constantes no São João. "Vai ser um São João inesquecível e espero que não tenha outro dessa forma. É uma festa família e que artisticamente envolve música, dança, poesia. Tem a gastronomia, a religiosidade, as pessoas se enfeitam e se reúnem. Temos uma alegria um pouco diferente por esse distanciamento. Quando isso passar, espero que as pessoas tomem como lição a valorização de pequenos momentos, detalhes que perderam a importância, antes. Como o abraço, o beijo, o toque, poder dançar uma quadrilha, um forró. Que valorizem mais a dança, a música, todas as vertentes da arte, e vejam que elas são essenciais para manter a saúde mental e o bem estar psicológico", comenta. 

Divulgação
Dudu do Acordeon destaca as dificuldades da classe artística e torce para que as pessoas valorizem mais esses profissionais. - Divulgação

Mesmo com este momento atípico, o cantor garante que alegria não vai faltar na live de sábado. "Vai ter a mesma energia do nosso show, ou até mais, porque para chegar à casa das pessoas pela internet, tem que ser mais alegre, para compensar a ausência de presença física. Nas músicas, todos podem esperar por 'Fugindo desse amor bandido', minha nova canção, músicas autorais e clássicos do são João", antecipa.

E se o forró pede passagem na programação da Rádio Jornal, Cristina Amaral completa a programação junina, trazendo novidades para o setlist. "Estamos vivendo um período onde o protagonista é o forró e é isso que eu quero levar para a casa das pessoas, muita alegria, muito arrasta-pé e que todos vivam esse sentimento do São João, da música nordestina, das comidas típicas. Além da minha música nova, 'Cercadim', que é uma composição de Elmo Oliveira e Flávio Leandro, vai ter muita música para que esse tempo passe rápido e venha uma nova esperança, uma nova vida para todos", complementa.

PRÓXIMOS PASSOS 

As mudanças que afetaram o mundo inteiro não foram diferentes para a classe artística, principalmente por seu trabalho gerar focos de aglomeração, com shows e eventos. Para eles, que vivem da presença do público acompanhando os seus trabalhos, pensar os próximos passos faz parte das adaptações trazidas ao cotidiano pela pandemia.

"A classe artística foi uma das mais prejudicadas. Não acredito que os shows possam voltar este ano. Só vamos vislumbrar alguma coisa nesse sentido depois que a vacina chegar. Enquanto isso, vamos continuar produzindo, fazendo música, as lives, e mostrando nosso trabalho através das redes sociais", conta Cristina.

Dudu do Acordeon ressalta a falta que o público faz, mas mantém planos ativos, com lançamentos digitais no segundo semestre. "Nosso maior cachê são os aplausos do público e a felicidade dos nossos fãs. No segundo semestre, pretendo lançar um EP com algumas canções novas, justamente para continuar produzindo. Como o trabalho com retorno financeiro reduziu drasticamente, é difícil porque toda essa produção envolve um custo. E é muito difícil trabalhar tendo custo sem ter receita. Mas pretendo lançar mais um clipe, mais uma música e o EP, para mostrar que a gente segue produzindo. Se a gente parar de fazer, a gente para de viver. O retorno do público é o que tem alimentado nossas forças para continuar", desabafa.

Divulgação
Dudu do Acordeon destaca as dificuldades da classe artística e torce para que as pessoas valorizem mais esses profissionais. - FOTO:Divulgação

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias