Artes cênicas

Produções de artes cênicas em destaque no Festival Arte como Respiro

Nova edição do projeto online promovido pelo Itaú Cultural acontece de 16 a 20 de setembro

Márcio Bastos
Márcio Bastos
Publicado em 16/09/2020 às 10:07
Notícia

DIVULGAÇÃO
ISOLAMENTO Rosangela Colares integra a cena de dança 'Por Aqui' - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

O Festival Arte Como Respiro, promovido pelo Itaú Cultural e exibido no site da instituição, retoma a programação de artes cênicas, de 16 a 20 de setembro. Nesta edição, 28 artistas de 12 estados apresentam 34 espetáculos de dança, teatro e circo, com produções para o público adulto e para a infância, disponíveis gratuitamente para visualização durante 24h.

O edital emergencial do Itaú Cultural foi criado para auxiliar os artistas impactados pela paralisação das atividades por conta da pandemia do novo coronavírus e, nesta edição do festival, são exibidas obras construídas em cima de temáticas ligadas à memória e às consequências físicas e emocionais do isolamento social. Para os adultos, as obras ficam disponíveis diariamente a partir das 20h. Já as atrações para as crianças são exibidas no sábado e no domingo, a partir das 15h.

 

Entre os contemplados estão trabalhos Bahia, Ceará, Goiás, Minas Gerais, Pará, Paraná, Paraíba, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo. Ao longo do mês, o Festival Arte como Respiro conta, ainda, com apresentação dos selecionados nos editais de Música, do dia 23 ao 27, e de Artes Visuais, que entram no site do Itaú Cultural.

Programação

A videoperformance cearense Desabituar abre a programação no dia 16 de setembro (quarta-feira). No trabalho, os artistas Edmar Cândido e Eric Vinicius, do coletivo Fuzuê, partem dos seus processos criativos para ressignificar a relação com a casa, onde vivenciam suas habilidades acrobáticas.

No mesmo dia, ficam disponíveis a cena de dança Por Aqui, do Coletive Umdenós, do Pará, com os artistas Bruno Cantanhede, Leo Barbosa e Rosangela Colares; e a cena teatral Querida Mamãe, de Dora por Sara, que parte do mergulho a atriz Sara Antunes (SP) nos escritos de Maria Auxiliadora Lara Barcelos (1945-1976), conhecida como Dora, estudante de medicina brasileira que integrou a organização Vanguarda Armada Revolucionária Palmares (VAR-Palmares).

Também na quarta-feira, o público pode conferir o espetáculo completo Michel III (SP), com dramaturgia de Fabio Brandi Torres e direção de Marcelo Várzea.

Na quinta-feira (17), a sessão das 20h reúne cinco projetos que trabalham a ideia de memória. Dez Dias (RJ) compartilha e reinventa os diários feitos pela artista brasileira Ana Luiza Fortes e a argentina Sofía Brihet no contexto da quarentena. Cartas Adiadas, com Sofia Ó e Juçara Amaral, por sua vez, coloca mãe e filha dançando uma para a outra os conteúdos de cartas não-enviadas. 

Da Bahia vem A Última Carta, texto do ator Felipe Calicott, que divide a cena com a atriz Dadiele Lima. Partindo da saudade como um sentimento presente nas relações vividas por todos. As lembranças também são tema de Memórias em Improviso, peça da paranaense Cia Mano a Mana, do músico Marcos Souza e a atriz, bailarina e cantora Karina Souza. 

A última exibição da noite fica por conta da websérie Plano de Abandono, do Rio Grande do Norte, com concepção, interpretação e direção de Mainá Santana e René Loui. A programação completa está disponível no site do Itaú Cultural. 

 

O jornalismo profissional precisa do seu suporte.

Assine o JC e tenha acesso a conteúdos exclusivos, prestação de serviço, fiscalização efetiva do poder público e muito mais.

Apoie o JC

Comentários

Últimas notícias