CINEMA

Documentário brasileiro ganha menção no Festival de Biarritz

O índio cor de rosa contra a fera invisível: a peleja de Noel Nutels, do documentarista Tiago Carvalho foi o único filme brasileiro contemplado

AFP
AFP
Publicado em 05/10/2020 às 17:17
Notícia
DIVULGAÇÃO
O índio cor de rosa contra a fera invisível: a peleja de Noel Nutels, filme do brasileiro Tiago Carvalho - FOTO: DIVULGAÇÃO
Leitura:

O filme brasileiro O índio cor de rosa contra a fera invisível: a peleja de Noel Nutels, de Tiago Carvalho, ganhou no último fim de semana uma menção especial na seção documentário do 29º Festival Biarritz da América Latina, mostra que celebra o cinema e a cultura latino-americanas.

O argentino Ofrenda, de Juan Mónaco Cagni, foi o ganhador do prêmio Abraço de melhor longa-metragem de ficção. A nova edição da mostra é celebrada entre 28 de setembro e 4 de outubro nesta cidade da costa sudoeste francesa.

Entre os outros contemplados estão La Fortaleza, de Jorge Thielen Armand, uma coprodução de Venezuela, Colômbia, França e Holanda, ganhadora do prêmio do júri.

O prêmio do público foi para Selva Trágica, de Yulene Olaizola (México), e o do Sindicato francês da crítica foi para "Chico ventana también quisiera tener un submarino", de Alex Piperno, patrocinada por Uruguai, Argentina, Brasil, Holanda e Filipinas.

O prêmio de melhor documentário foi para El otro, de Francisco Bermejo (Chile). O de melhor curta foi para Teoría Social Numérica, de Paola Michaels (Colômbia).

Os prêmios BAL-LAB foram para Es mentira que debes obedecer, de Bruno Santamaría (México), na categoria documentário, e La casa del perro, de Federico Borgia (Uruguai), na de ficção. A bolsa CNC de ficção foi concedida a Morir de pie, de María Paz González (Chile).

Comentários

Últimas notícias