Gastronomia

Le Petit é nova opção franco-italiana com toque pernambucano na Zona Norte

Chef Taci Teti assina o cardápio do irmão caçula do Le Chef na Jaqueira

MIRELLA MARTINS
MIRELLA MARTINS
Publicado em 18/11/2020 às 13:57
Notícia

WALTER DIAS/DIVULGAÇÃO
ARQUITETURA Le Pétit tem projeto contemporâneo e comporta 34 pessoas internamente e 16 do lado de fora - FOTO: WALTER DIAS/DIVULGAÇÃO
Leitura:


Em maio de 2017, Luciana Bacelar abria com a consultoria da chef Taci Teti o Le Chef, na Domingos Ferreira, no térreo do empresarial Gabriel Bacelar. Há uma semana, a parceria rendeu novos frutos: o Le Pétit, na Jaqueira, uma espécie de irmão menor da rede, que também tem o restaurante japonês Tetsu. O conceito continua o mesmo: passear entre a culinária francesa e italiana, com um toque refinado que o pernambucano tanto preza.
“Quando tivemos a ideia da unidade na ZN, ficamos na dúvida se iríamos ter o mesmo cardápio. Acredito que, antes de qualquer coisa, o grupo sabe servir bem o que o cliente quer. Nós atendemos as necessidades daquele momento. Através desta premissa, eu preferi pegar a essência do Le chef, sobretudo, deixar os clássicos da casa e introduzir algo novo para tentar criar intimidade e entender esse novo público”, explica a autora dos pratos, Taci Teti.
Ela explica ainda que o cardápio sofreu influência da família Bacelar, opinando e mandando referências das viagens feitas ao redor do mundo. “Depois de ouvir todas as sugestões, fiz minha versão do que achei que seria interessante”, adianta a chef de cozinha, que apostou em acrescentar mais frutos do mar neste menu. “Usamos um camarão maior do que o tradicional. Entrei com prato com curry que não tem nada parecido na ZS e transformei um clássico da pâtisserie, como o cheesecake, numa sobremesa com o Baileys”, avisa.

Novidades


De novidades, no quesito entrada, Taci aposta no Fruits de mera au vin (R$69), uma espécie de sinfonia marítima perfumada no vinho branco finalizado com creme de leite fresco e crumble de brioche (ainda sonho com o brioche feito na casa...) e nos Mexilhões gratinados com crosta de ervas (R$57).
Há também quatro variedades de saladas e boa lâmina de pratos vegetarianos para atender uma demanda cada vez maior, assim como os risotos, aves (o magret é sempre uma opção que ninguém se arrepende), mais carnes e massas. E não fique ansioso: o prato mais vendido do Le Chef, o mignon trufado, também é oferecido nesta casa, assim como o famoso brigadeiro e o pétit gateau.
De principal, a novidade fica por conta do Linguini ao Bisque de Camarões (do GG ao pequeno envoltos no molho de vinho branco e creme de leite); também do Pescado ao Limone, um filé de peixe, com creme de espinafre, fios de legumes e molho cremoso de limão e o Crevette ao Curry com arroz jasmine e amêndoas com molhinho com a especiaria, além do Mignon Gnocchi, um filé alto cozico no ponto correto com molho funghi e nhoque recheado com queijo levemente frito.
Taci é rigorosa com técnica e insumos. “Eu prezo pelo produto e qualidade. Usamos tudo natural; todas as nossas bases e molhos são produzidos na casa. Não usamos melhoradores. Bons insumos entregam bons resultados, ou no caso do Le Pétit, casa cheia. Em uma semana de aberto, todas as mesas estavam reservadas.

Intimista


A casa, aliás, é menor do que o Le Chef. Comporta 34 pessoas dentro e 16, fora. O projeto, muitíssimo bem elaborado, tem assinatura do casal de arquitetos Analice e Humberto Zirpoli. Faz a gente se sentir em casa, confortável. A trilha sonora também ajuda a compor a ambiência com um jazzinho gostoso... Em tempos de distanciamento por conta da pandemia do coronavírus, a varandinha é uma deliciosa opção; contracenando com uma parede viva com plantas e flores.


Le Pétit  - Horário: Terça a sábado, a partir das 18h30, Rua Antenor Navarro, 69,Jaqueira.Edf Empresarial GBO. 

 

MIRELLA MARTINS/ESPECIAL PARA O JC
CARNE Filé do Le Pétit, que tem menu criado pela chef Taci Teti - FOTO:MIRELLA MARTINS/ESPECIAL PARA O JC

Comentários

Últimas notícias