Música

Joelma lança single e videoclipe de 'Coração Vencedor'; assista

Cantora paraense fala de superação e resgata sonoridade do início da carreira na Banda Calypso na nova música

Robson Gomes
Robson Gomes
Publicado em 15/04/2021 às 12:00
Notícia
FÁBIO NUNES/DIVULGAÇÃO
Joelma se inspirou nas heroínas orientais e guerreiras amazonas para o roteiro de 'Coração Vencedor' - FOTO: FÁBIO NUNES/DIVULGAÇÃO
Leitura:

Com 46 anos de idade e 26 de carreira, a cantora Joelma vive um momento de superação. A prova disso está em seu mais novo single, Coração Vencedor, lançado nesta quinta-feira (15) nas plataformas digitais, com direito a um videoclipe, também divulgado hoje em seu canal no YouTube.

>> Joelma conta que teve 'pulmão, visão e mente' afetados pela covid-19

>> Relembre a estreia solo de Joelma no Recife

>> Primeiro CD da Banda Calypso completa 20 anos de lançamento

No final da tarde desta quarta-feira (14), a artista paraense reuniu a imprensa virtualmente para falar sobre sua nova aposta, que traz uma Joelma "mais raiz" na sonoridade da faixa, com elementos de merengue e cumbia, e que ela procurava há cerca de oito anos.

"Ninguém conseguia me fazer esse ritmo de novo, que eu gravei no início da Banda Calypso em sucessos como Dudu e Cumbia do Amor. E na pandemia, essa música veio como um presente pra mim. Aí peguei covid, mas não parei de produzi-la. Mandei para o meu produtor. Não conseguia encontrar o tom porque estava muito fraca, não conseguia falar, imagina cantar. Então gravei em dois tons para não parar a produção", revelou.

No refrão da música composta por Tony Brasil — responsável por vários hits da Banda Calypso nos primeiros anos — Coração Vencedor traz mesmo esse recado de superar as dificuldades, principalmente para as mulheres: "Coração saiu da solidão/ Quebrando as correntes/ Fugiu de uma prisão/ Se libertou/ Tá livre para o amor/ Meu coração valente/ É forte e vencedor".

"A letra fala de um coração ferido, machucado a ferro e fogo. Essa música falou muito isso comigo nesse sentido de superação. Para as mulheres, acho que vai ser uma injeção de ânimo. Para mim foi, assim que ouvi. E não só o ritmo alegre da música, como a própria letra, foram muito propícios para esse momento tão difícil da pandemia", justifica a paraense, que teve covid em duas ocasiões, e sente as sequelas até hoje.

Além da música em si, Joelma buscou sair da zona de conforto para conceber o videoclipe — onde ela assina o roteiro e a direção em parceria com Ricardo Lago, além da coreografia — onde mescla elementos medievais, junto com a estética dos animes e HQ's e, claro, a brasilidade do ritmos brasileiros, como o carimbó.

"Me inspirei nas heroínas orientais e nas guerreiras amazonas. Também coloquei a saia longa do carimbó no figurino. Na verdade, toda vez que você sai de uma situação ruim, como a música diz, você se sente mais forte, e aí você pode ser o que quiser. Uma heroína ruiva, uma guerreira loira, enfim... E para conquistar um público mais jovem, buscamos essas referências", afirma a cantora.

O Jornal do Commercio perguntou a Joelma se ela sentia que, hoje, o seu coração, assim como sua nova música, era vencedor. "Certeza absoluta! Meu coração é vencedor. É só olhar para mim e para os meus olhos. Estou numa fase incrível da minha vida, acho que a minha melhor fase, em todos os sentidos. [...] Acho que a pandemia, o covid, até me ajudou. Na verdade, eu tô agradecendo a Deus por Ele ter me dado uma nova chance, porque o meu caso foi muito sério. Eu não fui entubada porque não estava no hospital. Mas chegou um momento que eu não conseguia respirar pelo nariz, e muito menos pela boca. E esse clipe falou mais forte comigo, para fazê-lo dessa maneira, por tudo o que eu passei nesse momento. E o que não mata, nos fortalece. Então eu saí dessa situação, ainda estou lutando, com uma força, uma alegria tão grande, que pode despencar o mundo, desabar o mundo, e eu tô aqui de pé", respondeu.

ASSISTA AO VIDEOCLIPE:

Comentários

Últimas notícias