Reality Show

Conheça Ugo: o chef pernambucano que participa do 'Mestres da Sabotagem', no SBT

Participação do conterrâneo vai ao ar neste sábado (22) e ele conversou com o JC sobre a experiência

Robson Gomes
Robson Gomes
Publicado em 21/05/2021 às 18:45
Notícia
LOURIVAL RIBEIRO/SBT
BAGAGEM Ugo trabalha em Petrolina e é considerado o 'Chef da Estrelas' - FOTO: LOURIVAL RIBEIRO/SBT
Leitura:

No episódio inédito de Mestres da Sabotagem, o reality gastronômico do SBT/TV Jornal, que vai ao ar neste sábado (22), um dos quatro competidores é pernambucano. Trata-se do chef recifense Ugo César, de 42 anos, considerado o 'Chef das Estrelas', que decidiu aceitar o desafio do programa apresentado por Sergio Marone, na disputa pelo prêmio de até R$25 mil.

>> Com Sergio Marone, SBT estreia o reality 'Mestres da Sabotagem'

>> Chef Rivandro França apresenta receitas vencedoras do Cuscuz da Gente

>> Relembre Roberta Mayanah: a única mulher pernambucana de 'No Limite'

O Jornal do Commercio conseguiu falar com Ugo semanas depois de gravar a sua participação neste quinto episódio. No papo, ele compartilhou um pouco de sua vida como chef - atualmente ele trabalha em Petrolina após anos atuando em Fernando de Noronha - e sua experiência na atração, sua preparação nos bastidores, onde ele teve que encarar até uma gaiola no reality. Confira.

ENTREVISTA // UGO CÉSAR

JORNAL DO COMMERCIO - Como o convite do reality Mestres da Sabotagem chegou até você?
UGO CÉSAR - Networking genuíno é algo essencial na carreira de qualquer profissional. Nós somos seres humanos interdependentes, precisamos uns dos outros o tempo todo! Vivo no meio de pessoas positivas e autênticas que me encontram e me indicaram para o programa! Faz total diferença estar com pessoas de visão, afinal, só vemos no outro aquilo que temos dentro da gente! Networking é algo que construo com amor ao longo da minha vida.

JC - Você precisou ver o formato internacional para entender o programa? Fez alguma preparação específica?
UGO - Eu nasci preparado, acreditem! Tenho dentro de mim uma vontade gigante de realização, por isso, quando fui chamado, não hesitei, investi dobrado em afiar o machado, vi todos os programas antigos, fiz simulações de receitas em casa, além de toda uma estruturação emocional que me ajudou muito a ter resiliência e ânimo em todas as provas.

JC - Como foi a gravação do programa em meio a uma pandemia? Você se sentiu seguro?
UGO - Segurança e excelência. Foi o lugar onde mais me senti seguro. Fizemos o exame Swab, no trajeto interno na SBT era sine qua non o uso de máscara, álcool em gel e protocolos exclusivos na hora da maquiagem e do camarim que era individual.

JC - Para um chefe experiente como você, o que seria uma grande sabotagem no ato de cozinhar?
UGO - A falta do principal ingrediente do mundo, o amor! Um Chef que esquece de doar o seu melhor na hora de elaborar um prato, está sabotando a si mesmo e as pessoas que estão esperando sentir o seu tempero. Penso que cozinhar é um ato de amor que transcende a técnica, sem essa porção mágica, não há mais nada.

JC - O que podemos esperar de sua participação no programa?
UGO - Todos podem esperar o que adoro fazer, surpreender! Fui o meu melhor em cada cena e detalhe, fiz tudo que aprendi nos meus 42 anos de vida, fui menino, fui adolescente, fui adulto, deixei expandir em mim a minha real essência, minha autoconfiança e também brincadeiras. Preparem-se para se deparar com o criativo mais proativo do planeta na cozinha!

Comentários

Últimas notícias